Geladeiras grátis para reduzir o aquecimento global

Ainda tem gente pensando que o problema do aquecimento global pode ser resolvido com um bom aparelho de ar condicionado, mas, felizmente, ideias inovadoras para a preservação do meio ambiente estão surgindo a cada dia. Uma delas é a troca das geladeiras velhas por modelos novos com maior eficiência energética.

Nas casas modestas, onde encontramos poucos aparelhos elétricos, a geladeira é o item de maior peso na conta de luz junto com o chuveiro. É possível baixar o consumo da geladeira com ações simples como não colocar alimentos quentes dentro dela. No entanto, mesmo com boas práticas o consumo da geladeira é determinado principalmente pela tecnologia e pela idade do aparelho. Nas casas de pessoas de baixa renda é comum encontrar modelos antigos com eficiência baixa por conta do desgaste e da tecnologia ultrapassada. Uma geladeira velha e ineficiente chega a consumir o dobro da energia elétrica gasta por um modelo novo de mesma capacidade e classificação A pelo Inmetro. Diante desses números, algumas ideias estão senfo postas em prática para economizar energia elétrica com geladeiras. Vou citar o exemplo da Copel.

Programa Copel. A Companhia Paranaense de Energia Elétrica está atenta ao problema causado pelas geladeiras velhas e mantém um programa de substituição gratuita de aparelhos ineficientes para famílias de baixa renda. Os técnicos da empresa visitam as residências e identificam os aparelhos com alto consumo. As famílias de baixa renda que quiserem participar do programa são orientadas sobre boas práticas de uso da energia elétrica em casa e ganham uma geladeira nova, além de três lâmpadas fluorescentes compactas. A geladeira velha é entregue à Copel e encaminhada para a reciclagem, o que garante a sua retirada definitiva de circulação. Quem ganha a geladeira nova deve assumir o compromisso de não vendê-la no prazo de dois anos. Os efeitos da substituição são sentidos na conta de luz e na qualidade de vida dos moradores, pois o modelo novo refrigera melhor e faz menos barulho.

Buraco na camada de ozônio. Além do ganho energético que se obtém com a retirada de circulação das geladeiras velhas temos que lembrar que modelos velhos usam CFC como gás de refrigeração. Durante a reciclagem, esse gás é recolhido e tratado, assim, se elimina o risco de vazamento para a atmosfera onde ele causaria problemas para a camada de ozônio. A destruição da camada de ozônio da atmosfera terrestre era uma grande preocupação mundial no final do século XX e sua causa principal era o vazamento de gases CFC dos aparelhos de refrigeração. Atualmente, graças à substituição desses gases por outras substâncias menos poluentes, o problema está se encaminhando para uma solução. Com a reciclagem das geladeiras velhas é possível recolher e tratar o CFC antes que ele acabe vazando para a atmosfera.

Assistencialismo? A Copel é uma empresa estatal paranaense e seu programa de geladeiras grátis poderia ser rotulado como assistencialista, mas pensando bem, estamos em um momento crítico da História em que a preservação do meio ambiente deixou de ser idealismo romântico para se tornar uma questão de sobrevivência da nossa espécie. Por isso, vamos ao ambientalismo de resultados. Será que aqueles trambolhos barulhentos e poluentes seriam tirados de circulação de outra maneira? Mas para quem não gosta de assistencialismo, o governo federal traz outra proposta de substituição de geladeiras. Durante a crise econômica de 2008, o governo federal baixou o imposto (IPI) das geladeiras novas a zero, visando estimular o consumo e combater a crise. A medida durou um ano e como deu certo foi prorrogada, mas com ajustes ecológicos. A redução de IPI em 2009 só é concedida aos modelos com eficiência energética comprovada pelo selo Inmetro. Geladeiras da classificação A estão isentas de IPI. Os descontos de IPI vão caindo progressivamente à medida que a eficiência energética do aparelho também cai. Dessa forma, temos uma taxação de impostos baseada na eficiência energética e ambiental do produto.

Ganho para o meio ambiente. Qual é o ganho ambiental de uma geladeira econômica? Um aparelho de capacidade média e classificação A pelo Inmetro consome 25 kWh ao mês. Um modelo ineficiente de mesma capacidade consome o dobro (50 kWh). Fazendo a substituição do modelo ineficiente pelo econômico, ao longo da vida útil do aparelho (10 anos) o proprietário vai economizar 3.000 kWh, que custam cerca de R$ 1.500,00. Conclusão: A geladeira eficiente se paga ao longo de sua vida útil graças à economia de energia elétrica. O ganho para o consumidor está garantido, mas e para o meio ambiente? No Brasil, temos usinas hidrelétricas e termelétricas. As termelétricas consomem óleo e gás natural, dois combustíveis fósseis não renováveis que ao serem queimados aumentam o efeito estufa. Quando o consumo de energia elétrica diminui, as usinas termelétricas são desligadas. Por isso, economizar energia elétrica em casa é parar de queimar combustível na usina.

Classificação A não é tudo. Talvez, lendo essas informações sobre as vantagens das geladeiras eficientes, dê vontade de correr até a loja adquirir imediatamente um modelo classificação A (a mais eficiente). Lembre-se, porém, que os modelos são divididos pela capacidade. É preciso escolher o aparelho com a capacidade adequada à sua necessidade. Não adianta comprar um modelo eficiente, mas muito grande para o seu dia a dia.

Companhias energéticas querem redução do consumo? A Copel é uma estatal que segue diretrizes do governo paranaense. Companhias energéticas privadas, por outro lado, perseguem o lucro e querem vender mais energia para o consumidor. Não estou dizendo que empresas estatais são melhores para o meio ambiente, pois questões ambientais devem ser tratadas de forma global e estatais, geralmente, são máquinas ineficientes. No caso específico da energia elétrica, porém, iniciativas para economia de energia elétrica devem partir do consumidor, das agências reguladoras e do governo.

A partir do caso das geladeiras velhas dá para perceber a complexidade do desafio deste século. A substituição dos velhos caixotes barulhentos mostra que é possível conciliar preservação do meio ambiente com vitalidade econômica.

Veja também: Ambientalistas que se culpam por nascer

17 pensou em “Geladeiras grátis para reduzir o aquecimento global

  1. Eu sou do Municipio de Godoy Moreira , Pr. uma população muito carente, gostaria de saber como eles poderão ser incluso nesse programa e ter também sua geladeira nova com menos gasto de energia?
    Espero uma resposta.
    Obrigada.

  2. eu moro no Rio Grande Do Sul, Gravataí , bairro por do sol , minha geladeira consumo muita energia i é muinto antiga ,
    i menha rende e de minha esposa são muito baixas para conseguir levar todos meses um valor tão alto de luz…
    se puderem me ajudar visitando minha casa para dar um olhada eu fikaria muito grato!!!

  3. Gostaria de saber como faço p trocar minha geladeira velha por outra,mais moro no interior da Bahia Salinas das Margaridas.
    Aguardo resposta ou telefone para contato.

  4. tenho uma geladeira muito antiga e a borracha ja não fecha preciso que a copel me ajudasse com uma geladeira boa não precisa ser nova mas em bom estado!eu tenho baixa renda ,e moro em area de risco ,não possuo agua encanada!ass:marli

  5. ESTOU PRECISANDO DE UMA GELADEIRA PARA ARMAZENAR ALIMENTOS QUE VENDO E TAMBÉM CREMOZINHOS PARA QUE ELES NÃO SE MISTUREM COM OUTRAS COISAS.

Sua opinião me interessa