Uma pilha de pilhas

Esta semana fui à agência Santander próxima do meu trabalho para descarregar um pote de pilhas velhas. O Santander patrocina o programa Papa-Pilhas e mantem pontos de coleta em suas agências para recolher pilhas, baterias e celulares usados. Esse programa já recolheu centenas de toneladas de pilhas e baterias  e as encaminhou para a empresa paulista Suzaquim que processa o material e gera matéria prima para a indústria cerâmica. Saí da agência com a consciência pelo menos três quilos mais leve. No caminho, fiquei pensando: como consegui juntar tantas pilhas? Tá certo que foram alguns anos colecionando metais pesados. Como eu não encontrava um ponto de coleta armazenei as pilhas em casa por um longo período. Pilhas na lanterna, no controle remoto, em brinquedos; é incrível como elas estão espalhadas pelo nosso dia-a-dia. Uma rápida contabilidade me revelou que ainda existem muitos equipamentos movidos a pilhas e baterias lá em casa. Veja a lista. Será que na sua casa a situação é parecida?

  • 3 celulares
  • 1 notebook
  • 2 controles remotos
  • 1 lanterna
  • 1 câmera fotográfica
  • 1 rádio relógio
  • 1 mp3 player
  • 1 bateria de computador desktop
  • 1 carrinho de controle remoto
  • 1 telefone sem fio
  • 1 relógio quartz
  • 1 bateria automotiva

Resumindo: são 14 baterias e 12 pilhas em uso e olha que não considero a minha casa muito tecnológica.  Como a tendência é de aumento do uso dessas pequenas e eficientes fontes de energia, temos que aprender a nos relacionar melhor com elas.
Pilha ou bateria? Para os técnicos, pilha é uma fonte eletroquímica de energia formada por uma única célula e bateria é um arranjo de várias pilhas conectadas entre si. O exemplo típico de bateria é aquela do automóvel formada por 6 células de 2 volts que se ligam em série para produzir os 12 V exigidos pelo sistema elétrico do carro. Aos ecologistas, porém, interessa mais a definição comercial para pilhas e baterias. Comercialmente, pilha é uma fonte eletroquímica de energia não recarregável enquanto que a bateria admite muitos ciclos de recarga. Uma bateria usada adequadamente pode render até 1.000 recargas antes de se esgotar. Esse número redondinho fala por si. Apesar de mais caras e de exigirem um carregador, as baterias são preferenciais para o meio ambiente e para o bolso.
Dá para dispensar as pilhas? Em alguns casos a pilha ainda é a opção mais adequada. É o caso de equipamentos utilizados de vez em quando como as lanternas ou que levam muito tempo para consumir uma carga como os controles remotos de TV. As pilhas conservam por mais tempo a carga mesmo que não sejam usadas, ao contrário das baterias que se auto descarregam mais rapidamente. Nesses usos específicos dê preferência às pilhas alcalinas que duram mais.
Aumentar a vida útil das baterias. Usada corretamente uma bateria dura bem mais. Isso vale para a bateria do celular, do notebook e do automóvel. Informe-se sobre dicas para prolongar a vida útil das suas baterias. A diferença no bolso pode ser de 100%.
Descarte de pilhas e baterias. Esse tipo de material é considerado resíduo perigoso por causa dos metais pesados que contêm e não deve ser descartado como lixo comum. A nova legislação de resíduos sólidos brasileira exige que esses resíduos passem por engenharia reversa, ou seja, eles têm que voltar para o fabricante onde serão reciclados ou irão para destinação final ambientalmente correta. Enquanto a engenharia reversa não se consolida, temos que contar com programas como o Papa-Pilhas, pois a reciclagem das pilhas e baterias é complexa e não dá para fazer em casa. Faça sua pilha de pilhas.


Veja também: Simulador de consumo de energia em Excel

Baixe a planilha e faça um cálculo preciso do consumo de energia elétrica em sua casa. Download Assista ao vídeo e veja como usar a planilha.

Autor: Radamés

Engenheiro curitibano pela UFPR, professor e produtor de conteúdos e ferramentas educacionais para a Internet.

Sua opinião me interessa