Como viver de luz do sol

Que tal uma casa que não precisa da energia elétrica da rua? A ideia da casa ecológica que gera sua própria energia ainda é um projeto difícil de colocar em prática, mas não impossível. Com a tecnologia disponível no comércio já se consegue criar casas autônomas em energia elétrica. O custo é alto, mas tende a cair à medida que a indústria da energia limpa for se estruturando melhor.

Reduzir. O que é preciso fazer para deixar a casa autônoma em energia elétrica? Primeiro, reduzir o consumo ao mínimo com uma série de medidas. Uma casa de padrão médio com quatro moradores consome cerca de 300 KWh por mês. Os itens que mais pesam nessa conta são o aquecimento de água (chuveiro e torneira elétrica), a refrigeração (geladeira e freezer) e a iluminação. Vamos lembrar que uma casa ecológica tem boa ventilação e, por isso, dispensa ar condicionado. Água quente pode ser obtida com um sistema de aquecimento solar ou com energia de biomassa (lareira, fogão a lenha) ou pela combinação das duas fontes; aquecimento a gás na casa ecológica não pode. Na refrigeração dá para economizar energia usando eletrodomésticos eficientes e com capacidade adequada às necessidades da casa; nada de geladeiras gigantes, velhas e ineficientes. Em iluminação se economiza usando apenas lâmpadas eficientes como as fluorescentes compactas. Iniciativas como essas podem reduzir o consumo da casa para menos de 200 KWh por mês.

Sistema. Depois que o gasto de energia for enxugado deve-se pensar em um sistema limpo de geração para a casa. O uso de paineis fotovoltaicos é uma opção preferencial e a turbina eólica também pode ser considerada. O sucesso do projeto depende da ajuda de São Pedro que precisa contribuir com um mínimo de sol e vento. Felizmente, no Brasil essas duas dádivas da natureza são fartas. Um bom exemplo de projeto de casa autônoma pode ser encontrado no site do Cresesbe que mantém uma casa autônoma para fins de pesquisa e divulgação. O custo de um sistema que garanta 200 KWh por mês é alto; pode ultrapassar R$ 20.000,00, dinheiro que será recuperado com economia na conta de luz, mas se o dono da casa tiver cabeça de investidor vai concluir que gerar a própria energia ainda não é um investimento com retorno matador.

Os itens mais caros na geração própria são os paineis fotovoltaicos que representam cerca de dois terços do investimento. Os outros itens são baterias, controlador de carga que evita o carregamento excessivo das baterias, inversor que transforma a corrente contínua em baixa tensão das baterias em corrente alternada usada pelos eletrodomésticos. Para aproveitar melhor o investimento nos paineis o ideal é instalá-los em um rastreador que funciona como o girassol que persegue o sol e move os paineis ao longo do dia para deixá-los sempre voltados para o sol.

Limitações. Uma casa autônoma tem limitações em relação ao modelo tradicional que usa a eletricidade da rua. As baterias acumulam energia para dias sem sol, mas em certas regiões ocorrem períodos com muitos dias seguidos de céu nublado. Na casa autônoma devem ser evitados os equipamentos de alta potência que consomem muita energia em curtos períodos, pois a descarga rápida prejudica as baterias. Diante dessas inconveniências o ideal seria combinar a geração própria com o fornecimento externo. Em dias de sol à vontade a geração doméstica resolve o problema com sobra. Quando São Pedro não ajudar, o abastecimento externo complementa a carga. Equipamentos de consumo contínuo e moderado podem ficar ligados à rede solar e os de potência alta podem usar energia da rede pública.

Os futurólogos otimistas preveem que a casa do futuro poderá vender energia para a concessionária nos momentos em que estiver com produção excedente como em períodos de seca. É a geração de energia em grid que vai se viabilizar com o auxílio de sistemas computadorizados de gerenciamento. Mas para chegar ao ponto de vender energia elétrica no futuro é preciso começar no presente.

Veja também: Simulador de consumo de energia em Excel

Cadastre os aparelhos e deixe o Excel calcular o consumo previsto de energia para sua casa, escritório, loja, condomínio, empresa, etc. Você pode criar várias unidades de consumo, cada uma com vários cenários. Assim, você verifica se o seu consumo está dentro do previsto, pode testar o impacto de uma reforma ou troca de aparelhos ou até estimar o gasto de uma unidade que ainda vai ser construída. Faça o download da versão grátis.

Assista ao vídeo para conhecer o funcionamento da planilha.

1 pensou em “Como viver de luz do sol

  1. bom dia!! estou montando uma maquina para fabricação de tijolos ecologicos na qual posso fazer um reaproveitamento de restos de obra e tijolos novos sem a queima ficou bem interessante posso lhe enviar fotos ou até mesmo o material para vc ver

    Abraços!!!!!

Sua opinião me interessa