Morar em 19 m2

Qual é o espaço mínimo para morar bem? Em São Paulo, uma construtora está vendendo apartamentos de 19 m2 de área útil destinados a quem mora sozinho. Trata-se de uma tendência, pois as pessoas estão casando mais tarde, se divorciando mais e vivendo mais. Morar com menos pode ser cool além de favorável ao meio ambiente. O desapego e a ecologia andam de mãos dadas e cada vez mais pessoas estão evitando espaços desnecessários, até porque passam pouco tempo em casa. O tamanho recomendável da moradia depende do estilo de vida de cada um, mas as dicas a seguir ajudam a reduzir sua necessidade de área construída.

Apartamento com 19m2
Fonte: UOL Economia

Morar junto. Quem mora com a família ou em república economiza espaço per capita porque as pessoas compartilham áreas como o banheiro e a cozinha, por exemplo.

Serviços coletivos. No apartamento paulista mostrado acima fica subentendido que a roupa é lavada fora de casa. O prédio deve ter lavanderia coletiva, o que não é comum aqui no Brasil. Quem mora em flat pode contar com serviços de copa e, desta forma, economizar em espaço de cozinha. Condomínios com áreas sociais de lazer são uma boa ideia, desde que sejam usadas, claro.

Menos paredes. As paredes atrapalham o bom uso do espaço. É melhor usá-las apenas em último caso como se faz nos lofts.

Espaços multifuncionais. Uma mesa serve para fazer refeições, para estudar e trabalhar.  Um sofá serve para receber visitas, ler um livro ou jogar videogame. Para que móveis e espaços especializados como copa, sala de jantar, sala de estar, sala íntima, etc.

Sem corredores. Plantas mal planejadas geram espaços inúteis e nenhum representa melhor o desperdício do que o corredor. Quanto mais comprido, mais curta a criatividade do projetista. Em uma arquitetura ideal não existiram corredores e similares.

Espaços que se transformam. Levantar de manhã e erguer a cama para que ela desapareça na parede dando lugar à mesa do café. Essa é uma mágica clássica dos pequenos apartamentos. Veja o que o arquiteto Gary Chang consegue fazer transformando o espaço no seu minúsculo apartamento em Hong Kong.

Algumas funções são esperadas de uma moradia digna: espaço para dormir, para preparar e fazer refeições, para a higiene pessoal e para algum lazer, tudo com privacidade. A partir disso chegamos às áreas clássicas da habitação moderna: quarto, sala cozinha e banheiro. Com alguns argumentos liberais poderíamos ampliar a lista de cômodos com lavanderia, despensa e garagem. Qualquer coisa além disso já está na cota das gorduras arquitetônicas. Estamos falando de suítes, lavabo, home theater, sala de jogos, espaço gourmet, sala de jantar, sala íntima, adega, sauna, sala de ginástica e dependência de empregados.
Viver em espaços reduzidos é uma arte. Que o digam as pessoas que optaram por viver em barcos, trailers ou casas em árvore. Os especialistas em habitar lugares pequenos, no entanto, são os orientais. São famosos os apartamentos minúsculos de Hong Kong. Lá a moradia em cubículos é levada a extremos como mostra a foto abaixo.

Shocking aerial photos of cramped Hong Kong apartments, Hong Kong - 22 Feb 2013
Veja mais na fonte: ABC News

Autor: Radamés

Engenheiro curitibano pela UFPR, professor e produtor de conteúdos e ferramentas educacionais para a Internet.

Sua opinião me interessa.