Impacto ambiental total

Considere a seguinte situação: você compra duas canecas de louça e as leva para o escritório onde trabalha. De agora em diante, você vai usar uma caneca para tomar água mineral e outra para café. Parabéns. Em dois anos você deixará de mandar para o lixo pelo menos 1000 copos descartáveis. Economia para a empresa e consciência tranqüila para você. Uma mudança de hábito desse tipo à primeira vista parece irrefutavelmente ecológica. Só que até aqui consideramos apenas uma etapa do processo, aquela que acontece à vista do consumidor. Vamos olhar a cadeia de ações de forma mais abrangente, pois para a natureza só interessa o global.

Em dois anos, serão 1000 copos descartáveis economizados. Eles são feitos de plástico, que vem da indústria petroquímica. A matéria prima básica para fabricá-los é o petróleo. Na fabricação do plástico e na moldagem dos copos é consumida uma apreciável quantidade de energia e poluentes são lançados no meio. Os copos chegam até o escritório embalados em mais plástico e dentro de caixas papel. Depois de descartados, os copos e as embalagens deles vão para o lixo e entrarão em decomposição lenta, o que pode levar centenas de anos. No final, tudo vai se reduzir a gases de carbono lançados na atmosfera.

As duas canecas que você comprou não são eternas. Podem quebrar em dois anos e ir para o lixo. A matéria prima básica para fabricá-las é argila extraída da natureza. Sua fabricação exige fornos que consomem energia e lançam poluentes na atmosfera. Talvez a fábrica de louça não seja muito evoluída tecnologicamente e consuma mais recursos do que recomendam as melhores práticas. As canecas também chegam até você em embalagens que serão descartadas. Nos dois anos em que você vai utilizar as canecas, vai lavá-las muitas vezes e isso consome água tratada e detergente. A água suja da lavagem talvez passe pelo sistema de esgoto antes de terminar no sistema de águas da sua cidade. Quando as canecas forem para o lixo vão ficar na natureza por milhares de anos antes de se converterem em substâncias inorgânicas do solo. Se na sua cidade existe atividade de reciclagem, talvez uma parte do plástico seja reutilizada e isso pode representar algum crédito ambiental. A louça ainda não é considerada reciclável.

Se você leu o texto até aqui, já percebeu que não está claro qual é a iniciativa mais favorável ao meio ambiente: usar copos descartáveis ou canecas lavadas diariamente? Melhor seria não tomar água, nem café. Em resumo: entre duas práticas, devemos optar por aquela que traz menos impacto ambiental. Em questões ecológicas, raramente nos defrontamos com a escolha entre o ótimo e o péssimo. O que nos resta quase sempre é a escolha entre o péssimo e o razoável. Para complicar, dificilmente um leigo consegue avaliar qual das duas práticas é melhor. Temos que recorrer à análise dos especialistas que vão estudar cada etapa do processo. Em alguns casos, a decisão será subjetiva. Fazendo os cálculos na ponta do lápis a melhor prática no exemplo acima é usar canecas. A produção dos dois materiais agride o meio ambiente, mas o volume de resíduo em plástico é maior, e a água de lavagem das canecas pode ser tratada mais facilmente do que os resíduos sólidos do plástico. Não basta olhar por cima para dizer se uma iniciativa é boa para o ambiente. O impacto ambiental envolve a análise da cadeia produtiva em toda a sua extensão, da matéria prima ao resíduo final.

Veja também: Simulador de consumo de energia em Excel

Cadastre os aparelhos e deixe o Excel calcular o consumo previsto de energia para sua casa, escritório, loja, condomínio, empresa, etc. Você pode criar várias unidades de consumo, cada uma com vários cenários. Assim, você verifica se o seu consumo está dentro do previsto, pode testar o impacto de uma reforma ou troca de aparelhos ou até estimar o gasto de uma unidade que ainda vai ser construída. Faça o download da versão grátis.

Assista ao vídeo para conhecer o funcionamento da planilha.

2 pensou em “Impacto ambiental total

  1. Acrescente-se ao excelente texto que os plásticos normalmente são feitos a partir de resíduos da indústria do petróleo, cujos impactos ambientais já estão apropriados pela produção de combustíveis. Enquanto o impacto das minerações das matérias primas para a produção da porcelana é totalmente decorrente dela. De fato, há muito mais a contabilizar neste balanço do que parece a primeira vista, como aliás acontece com tudo relacionado ao meio ambiente.
    Outro ponto a considerar é que não é obrigatório o descarte dos copos de plásticos, e nem precisaríamos os lavar tantas vezes se simplesmente usássemos nossos copos de modo pessoal. Porque, por exemplo, lavar um copo que só você usa para beber água? E para que usar sabão ou detergente se você beber um chá neste mesmo copo, e depois quiser voltar para a água? Enfim, sou pró copos de plástico e bom senso e racionalidade.

Sua opinião me interessa