A reinvenção do trono doméstico

Bill Gates, através de sua fundação, promoveu um concurso com o objetivo de reinventar a latina. O projeto vencedor veio do California Institute of Technology . A equipe chefiada pelo professor Michael Hoffman criou uma engenhoca que utiliza energia solar para transformar os dejetos humanos em hidrogênio, energia elétrica, adubo e água reutilizável. Quem imaginava que seria possível gerar riqueza a partir de matéria prima tão desprezada.

Independente da boa intenção do Bill Gates, quando li as notícias sobre o concurso confesso que fiquei meditabundo. Será que o problema do cocô mal destinado deve ser resolvido com soluções high tech? Os técnicos da Fundação Gates explicam que a maneira convencional de tratar os dejetos humanos é muito cara: começa na latrina, consome água tratada, passa por redes de esgoto e termina em uma estação de tratamento de efluentes. Cerca de 2,5 bilhões de pessoas pelo mundo afora não contam com uma destinação correta para seus dejetos  O que a Bill & Melinda Gates Foundation está buscando é uma solução mais barata que a convencional para chegar a comunidades carentes que enfrentam os sérios problemas de saúde da falta de saneamento. A abordagem dos pesquisadores foi tratar os dejetos na origem, sem depender de água tratada, redes de esgoto e estações de tratamento de grande porte. Os vencedores do concurso acreditam que conseguem industrializar a latrina solar por cerca de US$ 2.000 cada. Pode ser interessante para comunidades isoladas, mas a combinação de preço alto com manutenção sofisticada não é animadora para adoção em larga escala. Vamos aguardar o avanço das pesquisas para ver se aparece alguma idéia revolucionária que dê jeito nessa matéria prima produzida em abundância pelos humanos.

Enquanto a revolução tecnológica não chega ao vaso sanitário vale lembrar que essa maravilhosa invenção tem evoluído ao longo do tempo e que é possível combater os problemas sanitários e ambientais dos dejetos com soluções low tech. Um dos problemas ambientais do vaso sanitário é seu consumo de água tratada que tem peso significativo na conta doméstica de água. Várias providências podem ser tomadas para reduzir esse consumo. A primeira delas é eliminar o acionamento por válvula de descarga que consome muita água (12 a15 litros por descarga). Vasos com reservatório consomem bem menos (6 a8 litros por descarga). Os modelos mais modernos têm duas opções de acionamento: a econômica de 3 litros que escoa líquidos e a de 6 litros que despacha os sólidos. Outra providência impactante é dar descarga com água reutilizada ou de chuva, afinal não é preciso descarregar o vaso sanitário com água potável. Em locais onde a água é escassa podem ser usados os sanitários de compostagem que usam pouca água e geram adubo orgânico. Enfim, muitas soluções surgiram depois da moita.

Veja também: Simulador de consumo de energia em Excel

Cadastre os aparelhos e deixe o Excel calcular o consumo previsto de energia para sua casa, escritório, loja, condomínio, empresa, etc. Você pode criar várias unidades de consumo, cada uma com vários cenários. Assim, você verifica se o seu consumo está dentro do previsto, pode testar o impacto de uma reforma ou troca de aparelhos ou até estimar o gasto de uma unidade que ainda vai ser construída. Faça o download da versão grátis.

Assista ao vídeo para conhecer o funcionamento da planilha.

Sua opinião me interessa