Viciados em sacolinhas contra atacam

O uso de sacolinhas descartáveis para carregar compras é combatido pelos ecologistas por razões simples: elas são feitas de plástico que é uma matéria prima não renovável que aumenta o efeito estufa; podem demorar centenas de anos para se decompor no meio ambiente; são descartáveis e podem ser substituídas em nosso cotidiano por alternativas mais ecológicas. Cidades brasileiras como São Paulo e Belo Horizonte proibiram a distribuição de sacolinhas descartáveis no comércio a partir de 2012, mas os inconformados com a decisão trabalham para reverte-la. Alguns lojistas tentando se adaptar à nova realidade, estão fornecendo gratuitamente caixas de papelão aos clientes. Outros substituíram as sacolas descartáveis pelas chamadas biodegradáveis e estão cobrando dos consumidores pelo produto. O Procon de São Paulo considerou a cobrança pelas sacolas biodegradáveis ilegal afirmando que as descartáveis eram distribuídas gratuitamente e o consumidor teria direito adquirido de continuar recebendo uma alternativa grátis. A confusão envolvendo as sacolinhas é grande e ainda vai levar tempo para chegarmos a uma solução ideal.

Acabar com as sacolas descartáveis é uma meta que deve ser perseguida pela sociedade, mas precisamos considerar o ciclo completo das benditas sacolinhas. Todos sabem que elas têm um segundo uso que é acondicionar o lixo doméstico e se quisermos impedir que as sacolinhas entrem nas casas temos que achar uma solução para a saída do lixo. Vamos comentar algumas alternativas e classificá-las em boas ou más ideias.

É furada

  • Continuar usando sacolas descartáveis. Essa alternativa nem pensar. Temos que olhar para frente e encontrar soluções sustentáveis.
  • Substituir as sacolinhas por caixas de papelão. As caixas de papelão que alguns supermercados estão fornecendo aos clientes poderiam ser recicladas para gerar papel novo.  Se elas forem para a casa das pessoas vamos quebrar uma cadeia de reciclagem consolidada.
  • Substituir as sacolinhas pela versão biodegradável. As sacolas chamadas de biodegradáveis são polêmicas, pois usam matéria prima não renovável e há dúvidas se elas são realmente biodegradáveis.

Boas sacadas para as compras

  • Usar sacolas retornáveis. As ecobags são ideais para compras leves do dia-a-dia.
  • Do carrinho para o porta-malas sem sacolas. Quem vai às compras de carro não precisa de sacolas para movimentar as compras de um lado para o outro.
  • Entrega em engradados retornáveis. O supermercado pode entregar as compras na sua casa sem precisar de sacolas. Dá até para fazer o pedido pela Internet.

Ideias top para movimentar o lixo

  • Preparar o lixo reciclável para coleta. Para garantir a reciclagem o resíduo reciclável deve ser entregue para a coleta limpo e compactado. Limpando o material reciclável ele não vai cheirar mal nem atrair insetos e compactado ele vai ocupar pouco espaço.
  • Usar embalagens para acondicionar o lixo reciclável. Dá para usar as embalagens descartadas no cotidiano para guardar materiais recicláveis evitando o uso de sacolinhas.
  • Lixeiras para despejo direto. Lixeiras reforçadas e fechadas podem receber o lixo diretamente. Se tiverem rodinhas podem ser movimentadas facilmente e basta lavar de vez em quando.
  • Embalagens biodegradáveis para lixo úmido. Para alguns tipos de resíduo é aceitável usar embalagens específicas para lixo desde que sejam produzidas com material realmente biodegradável.

A batalha das sacolinhas ainda vai se estender por um bom tempo porque muitos interesses estão em jogo. A indústria do plástico quer garantir seu mercado, alguns supermercados querem repassar custos para o consumidor e alguns consumidores não querem abandonar velhos hábitos comodistas. Parece que até o momento, o único que não teve seus interesses contemplados foi o meio ambiente.

Veja também: Simulador de consumo de energia em Excel

Cadastre os aparelhos e deixe o Excel calcular o consumo previsto de energia para sua casa, escritório, loja, condomínio, empresa, etc. Você pode criar várias unidades de consumo, cada uma com vários cenários. Assim, você verifica se o seu consumo está dentro do previsto, pode testar o impacto de uma reforma ou troca de aparelhos ou até estimar o gasto de uma unidade que ainda vai ser construída. Faça o download da versão grátis.

Assista ao vídeo para conhecer o funcionamento da planilha.

Sua opinião me interessa