Arquivo da tag: animais

A culpa é do boi que solta muito pum?

Tem gente por aí recomendando tirar a carne de gado do cardápio porque o boi produz metano durante a digestão e libera esse gás em abundantes arrotos e puns. O metano é um dos gases que causam o efeito estufa, mas antes de aposentar a churrasqueira vamos meditar um pouco sobre a questão. O boi come capim, parte do capim é transformada dentro do boi em metano. O metano sai pelo cano de escape do boi e fica na atmosfera por uns dez anos até reagir e gerar CO2. O CO2 é absorvido pelo capim que será comido pelo boi. Como se vê, o ciclo do metano gerado por ruminantes é fechado. Não podemos acusar esses grosseiros animais sem nenhuma etiqueta pelo aumento do efeito estufa.

Continue lendo A culpa é do boi que solta muito pum?

Balu, o triturador biológico

Vi uma propaganda de triturador de pia na TV e comecei a pensar sobre o impacto ambiental desse tipo de aparelho. Quem fabrica o triturador procura associá-lo a conceitos de praticidade, higiene e comodidade. Na Internet, é possível encontrar elogios ao caráter ecológico do aparelho. Como assim? Ecológico? Sim, ele eliminaria o lixo orgânico trazendo uma economia de lixeiras, sacos plásticos, coleta, etc. O publicitário mequetrefe que chegou a essa conclusão deve ter faltado à aula sobre conservação da matéria. O resíduo some dentro do triturador deixando de agredir nossos olhos e nariz, mas certamente vai parar em algum lugar.

Continue lendo Balu, o triturador biológico

Quanto vale um quilo de cocô de cachorro?

Uma vez por semana percorro o quintal com uma pá e um balde nas mãos recolhendo a produção dos moradores caninos da casa. Nessa hora eu penso: ah, se isso valesse dinheiro. Vai valer um dia. Riam os que ainda acreditam na sociedade do consumo predatório. Lixo é o nome que damos hoje às matérias primas que queremos mandar para longe dos olhos e do nariz. Virá o tempo em que vamos deixar de usar a palavra lixo. Eu bem que gostaria de usar o cocô de cachorro como adubo na horta. Essa matéria prima lá em casa é abundante, mas seria necessário um tratamento prévio para evitar o risco de contaminação dos alimentos. Já que é assim, por hora, a proudução dos nossos cães acaba no aterro sanitário. No futuro, seremos responsáveis pelos nossos detritos, por todos eles. Felizmente, nesse tempo os resíduos terão valor de mercado porque tudo será reutilizado ou reciclado. Como já existe gente ganhando dinheiro com estrume tenho fé que um dia o Balu, nosso labrador, vai se tornar um cão com renda própria.

Continue lendo Quanto vale um quilo de cocô de cachorro?