Google contra piratas

O Google anunciou que vai baixar a relevância de sites ilegais em seus resultados. Na prática isso quer dizer que os sites ilegais serão jogados para o fim da lista em vez de aparecer no topo como acontece em muitos casos. Além disso, sites que tenham sido denunciados como ilegais pelas leis americanas serão removidos dos resultados. Nesse caso, Google mostrará o texto da denúncia em vez do link para o site enquadrado. A ideia é inibir a pirataria, mas sinceramente a eficácia da medida deve ser mínima, pois há várias maneiras de contornar as barreiras levantadas pelo Grande Irmão. Vamos exemplificar:

Digitando Batman ressurge no Google receberemos uma lista encabeçada por sites de boa índole. Se acrescentarmos uma palavra na busca digitando Batman ressurge download o resultado muda radicalmente e traz uma penca de sites suspeitos que oferecem download do filme. Diz o bom senso que um filme em exibição nas salas de cinema não pode ser encontrado para download legalizado. Mesmo que o Google baixe a relevância dos sites de pirataria eles vão aparecer no topo quando não há alternativa legalizada para a pesquisa. Quanto aos sites removidos, o usuário pode clicar na denúncia e ver o endereço do site denunciado. Se o usuário buscar por um filme mais antigo como Batman Begins, o Google mesmo vai sugerir o argumento Batman Begins download.

A iniciativa antipirataria do Google pode parecer bobinha aos combativosdefensores da difusão cultural gratuita, mas temos que vê-la como primeiro passo de um cerco que vai se fechar aos poucos. Em algum momento no futuro os sites de pirataria serão removidos dos resultados do Google pra valer. No começo, os clientes da pirataria vão dar risada do sumiço porque sabem como acessar o endereço diretamente sem ajuda do buscador. Com o tempo, porém, esses endereços conhecidos  podem ser fechados pela justiça e os novos que vão surgindo não serão apresentados no Google. Vamos migrar para outro buscador! dirão os inconformados. O problema é que todos os grandes buscadores vão ser pressionados a boicotar a pirataria. Vamos para buscadores mambembes então! Tudo bem, mas buscadores nanicos não têm o alcance de um Google e podem enfrentar problemas com a justiça. Vamos comprar DVD no camelô da esquina,. gente! Nessa hora alguém vai dizer: Como? Usar mídia física? Cai fora, meu. Muitos podem rir do que vou dizer mas acredito que a vida dos piratas vai ficar gradativamente mais complicada. Isso não quer dizer que a pirataria vai desaparecer, mas que pode ficar inviável em muitos casos.


Veja também: Calendário permanente em Excel

Este calendário vai de 1900 a 2100 e traz feriados, fases da lua, datas comemorativas, estações do ano, horário de verão e algumas coisas mais. Baixe a planilha gratuitamente no link abaixo.

Assista ao vídeo para saber como a planilha funciona.

O Google sempre manteve uma posição agnóstica em relação à pirataria. Eles não queriam ser antipáticos com o usuário, mas não há como negar que essa visão liberal do Google é um dos pilares que sustentam a pirataria. Alguns podem alegar que é um absurdo baixar a relevância de sites piratas porque um buscador tem como missão encontrar o que o usuário deseja. Segundo esses xiitas da liberdade absoluta o acesso à pirataria é um direito inalienável do usuário. Tenho minhas dúvidas. Ainda defendo a tese de que pirataria é refresco até o dia em que você é pirateado. Agora que o Google dominou o mundo, vai começar a atuar como líder monopolista. Qual será seu próximo passo contra a pirataria? E como os piratas vão contra atacar? Que prossiga a eterna luta do bem contra o mal.

Comente com Facebook

Sua opinião me interessa