Comentários no WordPress: um problema a ser resolvido

A culpa não é do WordPress que tem boas soluções para comentários. O problema é a Internet selvagem cheia de spammers, trolls, haters, vândalos e perfis fakes. Em um mundo ideal você publicaria um conteúdo bem caprichado e receberia vários comentários de usuários verificados que visitam o seu site com frequência. Seriam comentários relevantes que enriquecem sua publicação, geram uma discussão saudável, trazem credibilidade ao seu site e melhoram a sua audiência.

Na Internet real, porém, há muitos desafios a vencer se você quiser comentários de qualidade. Para começar, boa parte das pessoas que acessam seu site é audiência passiva. Eles podem até gostar do conteúdo, mas não materializam esse sentimento em forma de comentário. Fique feliz quando 1% dos visitantes interagirem com seu post. Por que a maioria das pessoas só olha? Há os preguiçosos, tem aqueles que se intimidam na hora de escrever, os que temem se engajar e depois serem importunados com marketing agressivo. E, além disso, existe uma Internet inteira de estímulos roubando a atenção do seu visitante. Talvez, você mesmo seja responsável por isso ao encher sua página de coisas piscantes.

comentários

Maldito spam

Quando comecei a blogar com WordPress há mais de uma década comentar era fácil e moderar, mais fácil ainda. No máximo, algum vândalo de vez em quando escrevia uma besteirinha nos comentários. Há alguns anos, porém, meu site começou a ser invadido por spammers de comentários. Eu recebia centenas de emails por dia avisando de comentários publicados, a maioria deles oferecendo coisas como Viagra sem receita. O ataque contínuo dos spammers me obrigou a colocar CAPTCHA (aquelas letrinhas tortas) nos comentários e, mesmo assim, eles conseguiam passar pela barreira. Daí eu passei a publicar os comentários somente depois de aprovação. Vejam que coloquei duas barreiras no caminho do usuário boa praça que gostaria de fazer um comentário interessante. A moderação demora e impede o debate rápido entre os participantes.O resultado foi uma grande redução de comentários válidos.

A escória da Internet

No meu site não tenho problema com usuários fundamentalistas. No máximo, recebo alguns comentários esquentados nos poucos posts polêmicos que publico. A Internet, porém, está infestada de trolls, haters e vândalos que estão aí para incomodar, mas não vamos falar muito deles pois essa turma quer mesmo é ser xingada. É dessa forma que eles obtêm satisfação. Combatê-los é tarefa ingrata e não há formas automatizadas de fazer isso. Você pode exigir que os usuários se cadastrem no site para comentar, que façam login social com Facebook, Google, Twitter, etc. Você pode contar com ajuda de ferramentas que ejetam os comentaristas problemáticos. Pode criar regras para comentários. Dessa forma, você reduz bastante a ação dessa minoria de pixadores digitais. Note, porém, que novamente estamos colocando barreiras no caminho do usuário gente fina que queremos atrair.

Busca do equilíbrio

E como fazer para combater o lixo nos comentários sem criar barreiras para os bem-vindos comentários relevantes? Uma coisa é certa: com o nível epidêmico de infestação de pragas na Internet algumas barreiras precisam ser colocadas no site e o login social é uma das mais interessantes. Só não pode ser uma barreira muito alta, senão quem perde é você. Procure uma solução técnica equilibrada que não intimide nem canse os usuários genuínos. Dessa forma, com um controle moderado você terá menos mas melhores comentários. Vai sobrar para você, contudo, o trabalho de vigilância constante para manter ordem na casa.

Se você tem problemas para gerenciar comentários, desabafe com um comentário aqui mesmo. E se tiver ideias para combater as pragas de comentário passe-nos a dica.


Veja também: Planilhas do Campeonato Brasileiro de Futebol 2017 - séries A e B

Se você quer uma planilha para acompanhar o Brasileirão é só baixar as planilhas com muita informação para fazer uma análise detalhada do campeonato.


Assista ao vídeo abaixo para entender a planilha.

Na sequência, vou publicar uma matéria analisando as melhores soluções para gerenciar comentários no WordPress. Até lá.

Comente com Facebook

Sua opinião me interessa