O quinto elemento da fotografia

Depois de muito matutar cheguei à conclusão que a fotografia é formada por quatro elementos que não são ar, água, fogo e terra. Estou falando de motivo, produção, técnica e arte.

O motivo se refere ao que será fotografado. Alguns gostam de fotografar paisagens, outros de fazer retratos, há os que preferem registrar a vida selvagem e por aí vai. Buscar bons motivos é essencial para a fotografia.

A produção corresponde aos preparativos anteriores ao clique. Para tirar uma foto é preciso se deslocar até o local onde está o motivo levando equipamento adequado, encontrar o melhor ponto para posicionar a câmera, aguardar a melhor hora com a melhor luz, etc. Parece simples, a não ser que o objetivo seja fotografar o Titanic onde ele encontra atualmente.

A técnica envolve o conhecimento e domínio das máquinas: distância focal, abertura de diafragma, sensibilidade ISO, balanço de brancos e muito mais. A técnica nos permite controlar os artefatos e, sem ela, o fotógrafo não sobrevive.

A arte flutua em torno dos outros elementos e influencia todos eles. A arte nos sugere motivos, condiciona a produção e nos permite fazer o melhor uso da técnica. Pela arte conseguimos a melhor composição, a profundidade de campo ideal, a harmonia de cores.

Os quatro elementos da fotografia são palpáveis, inquestionáveis, no entanto, fotos sublimes dependem de um quinto e inefável elemento que não dá o ar de sua graça facilmente. Trata-se de um elemento volátil, imperceptível, manhoso. Muitas vezes, temos o maior zêlo em garantir todos os quatro elementos, mas o quinto deles estava de férias e aí, meu caro a foto perfeita fica para outro dia. O quinto elemento chama-se sorte.

.

Autor: Radamés

Engenheiro curitibano pela UFPR, professor e produtor de conteúdos e ferramentas educacionais para a Internet.

Sua opinião me interessa