Hífen

O hífen é usado com vários fins em nossa ortografia, geralmente, sugerindo a idéia de união semântica. O hífen une duas palavras formando um conjunto sem espaços. Vejamos quais são esses usos.

Pronome átono posterior

Quando o verbo é seguido de pronome átono, usa-se hífen entre os dois. Por exemplo:

Faça-me, faça-te, faça-o, faça-a, faça-os, faça-as, façam-lhe, façam-no, façam-na, façam-nos, façam-nas, façam-vos, façam-lhes.

Usa-se dois hífens quando após o verbo temos dois pronomes átonos seguidos. Exemplo:

Dava-se-lhe.

O hífen também é empregado quando o pronome se interpõe entre os morfemas do verbo, o que ocorre nos tempos indicativo futuro e indicativo passado posterior. Exemplos:

Fa-lo-ei, Dir-lhe-ia, Ver-me-iam.

Nos enunciados em que ocorre a palavra eisseguida por pronome átono, também se emprega hífen. Exemplos:

Eis-me, Ei-lo.

Locuções

Em muitos casos, usa-se o hífen entre as palavras de uma locução. Por exemplo: água-marinha, arco-íris e couve-flor. Em nossa escrita, representamos as locuções de várias formas. Em alguns casos, escrevemos as palavras da locução separadas, em outros, escrevemo-las juntas e, finalmente, há os casos em que colocamos hífen entre elas. Infelizmente não há uma regra que nos permita dizer qual é a representação correta para cada locução. Somente o convívio com a língua escrita nos dará a fluência na representação das locuções.

Afixos e hífen

Alguns afixos são representados em nossa escrita separados do restante da palavra por um hífen. Por exemplo: anglo-saxão, açaí-mirim e extra-oficial. Existem algumas regras que nos ajudam a decidir quando usar hífen para isolar afixos, embora não sejam regras simples. O convívio com o idioma escrito, nesse caso, costuma ser mais eficaz que a memorização das regras, mas vejamos quais são elas.

  • O prefixo tem característica adjetiva. Isso é especialmente comum com prefixos que indicam nacionalidade, posição relativa ou área do conhecimento. Exemplos: luso-brasileiro, sino-soviético, austro-húngaro, ínfero-anterior, econômico-financeiro, sócio-lingüístico.
  • O sufixo é de origem tupi-guarani e tem função adjetiva como açuguaçumirim. Usa-se hífen em alguns casos como: andá-açu, amoré-guaçu, anajá-mirim, capim-açú.
  • Com os prefixos auto, contra, extra, infra, intra, neo, proto, pseudo, semiultra, se na seqüência vier vogal, hr ou s: Exemplos:auto-educação, contra-almirante, extra-oficial, infra-hepático, intra-ocular, neo-republicano, proto-revolucionário, pseudo-revelação, semi-selvagem, ultra-sensível, etc. Exceção: extraordinário.
  • Com os prefixos ante, anti, arquisobre, quando seguidos por h, r ou s: Exemplos:ante-histórico, anti-higiênico, arqui-rabino, sobre-saia, etc.
  • Com o prefixo supra, quando seguido de vogal, r ou s: Exemplos: supra-auxiliar, supra-renal, supra-sensível, etc.
  • Com o prefixo super, quando seguido por hou r: Exemplos: super-homem, super-requintado, etc.
  • Com os prefixos ab, ad, ob, sobsub, quando seguidos por r. Exemplos: ab-rogar, ad-renal, ob-reptício, sob-roda, sub-reino, etc.
  • Com os prefixos panmal, quando seguidos por vogal ou hpan-asiático, pan-helenismo, mal-educado, mal-humorado, etc.
  • Com o prefixo bem, em alguns casos como:bem-ditoso, bem-aventurança, etc.
  • Com os prefixos sem, sota, soto, vice, vizo,ex. Exemplos: sem-cerimônia, sota-piloto, sota-ministro, vice-reitor, vizo-rei, ex-diretor, etc.
  • Com os prefixos pós, pré, e pró, em alguns casos como: pós-meridiano, pré-escolar epró-britânico.

Agrupamentos semânticos

Quando o redator quiser passar a idéia de que um conjunto de palavras forma um bloco semântico coeso, pode interpor hífens entre as palavras do conjunto. Trata-se de um uso retórico do hífen. Exemplo: Desejo-lhe um futuro mais-que-perfeito.

Pólos semânticos

Quando duas palavras no plano semântico constituem pólos semânticos, cada uma delas em extremos opostos da significação, podemos usar hífen entre elas com o fim retórico de enfatizar essa polaridade. Exemplos:

Dicotomia língua-fala.

Percurso Rio-SãoPaulo.

Hifenização

Hifenização é a prática de dividir uma palavra escrita em duas partes para aproveitar melhor o espaço no final da linha tipográfica. Uma parte da palavra fica no final da linha e o restante vai para o início da linha seguinte. Quando fazemos a hifenização de uma palavra, temos que usar hífen no final da linha, após a primeira parte da palavra. Com isso, indicamos que não se trata de uma palavra completa e que o complemento encontra-se no início da linha seguinte.

Veja também: Conjugador de verbos em Excel

Para provar que existe lógica em nossa língua resolvi criar um conjugador de verbos em Excel. Baixe a planilha e use no celular ou no computador.
Download

Assista ao vídeo, veja como a planilha funciona e entenda melhor o nosso sistema de verbos.

5 pensou em “Hífen

  1. Aí depende de ver a frase completa. As regras para colocar o pronome antes ou depois dependem de analisar a frase completa

Sua opinião me interessa