Não sei escrever em internetês

Confesso essa lacuna em minha formação: não sei me expressar em internetês. Felizmente, não há nenhum contexto social em meu cotidiano que me obrigue a usar essa nova forma de expressão. No máximo, falo com meus filhos pelo Windows Live, mas nesse caso não passo por constrangimento, pois eles toleram essa minha limitação linguística.

Sempre busquei a máxima proficiência na ortografia padrão, meta que hoje considero inatingível. Você caro leitor, se encontrar algum deslize ortográfico neste post, por favor, deixe um comentário para provarmos juntos que o sonho da redação impecável é meramente sonho. De qualquer forma, a ortografia padrão é a minha referência. Por razões que ainda não consegui mapear é a ortografia tradicional, rígida e castiça que procuro reproduzir sempre que escrevo. No máximo, em um ou outro ponto do texto tomo algumas liberdades em busca de um pouco de humor ou pelo fato de que a ortografia tradicional é pouco abrangente e não dá conta de toda a diversidade do idioma.

Essa minha preferência pela ortografia da Academia Brasileira de Letras não quer dizer que desprezo ou tenho preconceito contra o internetês. Pelo contrário, admiro o internetês em muitos dos seus aspectos e espero que essa variante vá além do modismo passageiro. Tomara que alguns de seus princípios sirvam de base para a próxima reforma ortográfica que há de ocorrer daqui uns trinta anos. Só temos a ganhar se aderirmos à praticidade do internetês.

Internetês, vamos deixar claro, não é uma variante da língua. É uma nova forma de escrever, uma nova ortografia. Alguns podem ter a impressão de que o internetês corrompe o padrão culto do idioma, na medida em que registra por escrito formas populares de expressão. Na verdade, o âmbito do internetês se limita à escrita embora, em alguns casos, leve para o texto as formas populares da fala. O que essa nova forma de escrever tem de bom? Vou dar alguns exemplos:

  • Se escreve como se lê. É o velho sonho da escrita fonológica que ressurgiu com o internetês. Para que ficar pensando se a palavra se escreve com x ou ch? É com sc, ss ou ç? O que importa é o fonema representado.
  • Rapidez. O internetês é cheio de abreviaturas para dar velocidade na escrita.
  • Escrita ideogrâmica. Os emoticons, por exemplo, inserem emoções na escrita e a ortografia tradicional não tem recursos similares. Os emoticons funcionam porque são icônicos, ou seja, lembram graficamente a emoção que representam. 😀
  • Criatividade. O internetês está repleto de soluções criativas e bem humoradas.
  • Racionalidade. para que usar acentos e maiusculas? a comunicaçao funciona bem sem esses elementos da escrita. a ideia de acabar com os acentos na lingua portuguesa causa arrepios de indignaçao nos tradicionalistas, mas a garotada sabe que acentos e maiusculas sao completamente inuteis.

Para manter o equilíbrio, vou confessar que algumas coisas do internetês me irritam. Não gosto daqueles exageeeeeeeeros!!!!! POR QUE GRITAM TANTO????????

A minha simpatia pelo internetês não quer dizer que vou aderir a ele. Continuarei pelo caminho mais estreito e íngreme da ortografia tradicional. Existem na Internet tradutores que convertem a ortografia tradicional em internetês, mas ninguém até hoje criou um sistema que faz o contrário. Por que será?

Veja também: Conjugador de verbos em Excel

Para provar que existe lógica em nossa língua resolvi criar um conjugador de verbos em Excel. Baixe a planilha e use no celular ou no computador.
Download

Assista ao vídeo, veja como a planilha funciona e entenda melhor o nosso sistema de verbos.

1 pensou em “Não sei escrever em internetês

Sua opinião me interessa