Porque os termos politicamente corretos são loooongos

Uma das regras básicas do comportamento politicamente correto é trocar palavras curtas e simples por expressões longas e difíceis de pronunciar. Por essa regra, a palavra negro, simples e de apenas duas sílabas, é substituída por afro-descendente com seis sílabas. A palavra deficiente é substituída por portador de necessidades especiais. Existem razões razoáveis para não usar palavras carregadas de preconceito, mas a solução definitiva é parar de enxergar preconceito nas palavras. Por que não chamar de negro alguém que tem a pele negra? Por que não chamar de deficiente alguém com deficiência visual? O preconceito não está na boca, mas no ouvido.

Bem, essa conversa sobre preconceito não explica o alongamento dos termos politicamente corretos. Essas expressões são mais longas por dois motivos: primeiro porque a maioria das palavras que está na boca do povo tem conotação pejorativa e, isso obriga os politicamente corretos a usarem expressões compostas inéditas em vez das palavras curtas consagradas. O segundo fenômeno é a atenuação do impacto que se obtém usando um conjunto de palavras em vez de uma palavra curta e simples. Palavras curtas têm densidade alta enquanto que expressões  longas diluem o impacto que a mensagem causa no receptor. É a velha técnica de fazer rodeios para dar notícias ruins. Como poderíamos chamá-la? Que tal processo de despreconceitualização das mensagens histórico ideologicamente conotadas?

Veja também: Conjugador de verbos em Excel

Para provar que existe lógica em nossa língua resolvi criar um conjugador de verbos em Excel. Baixe a planilha e use no celular ou no computador.
Download

Assista ao vídeo, veja como a planilha funciona e entenda melhor o nosso sistema de verbos.

2 pensou em “Porque os termos politicamente corretos são loooongos

  1. Que tal processo de chantagem e domesticação a fim de controlar o pensamento e moldar a visão de realidade, alienando-se a compreensão do mundo e esvaziando-se o sentido da linguagem?

    A palavra preconceito foi sumariamente apropriada para desmerecer qualquer idéia que seja oposta a desmandos ideológicos, criando-se rótulos sem nexo descontextualizados e invertendo-se a sua semântica. No linguajar politicamente correto, há uma discrepância louca em controlar as palavras, enquanto os atos destoam de toda benevolência que esse povo promete em vistas de domá-los para seu fim.

  2. Não vai demorar e teremos que chamar o Bolo Nega Maluca de bolo afro descendente feminino com transtorno obsessivo compulsivo.

Sua opinião me interessa