Para que serve a Matemática?

Esses dias, meu filho me perguntou para que serve a Matemática? Por coincidência, a pergunta veio depois de uma nota baixa no boletim do primeiro trimestre. Fiquei sem resposta. Melhor: preferi não dar nenhuma das respostas padronizadas que me vieram à cabeça, pois a pergunta dele era retórica, praticamente um desabafo que precisava apenas ser ouvido e não contestado.

Fita de Moebius

 

Obviamente, a Matemática serve para muitas coisas e não me refiro à situações práticas como calcular usando uma trena quantos galões de tinta vão ser gastos para pintar a casa. Matemática forma o caráter, pois para estudá-la é preciso cultivar virtudes como a paciência e a dedicação. A matemática nos ensina a não depender de recompensas imediatas, já que seus frutos são colhidos a longo prazo. Pela Matemática entendemos o que é progressão do conhecimento. A Matemática estimula o desenvolvimento de competências externas a ela mesma como operar em níveis altos de abstração. Em outras palavras, a Matemática pode ajudá-lo a tomar decisões complexas e a prever cenários. A Matemática fortalece o intelecto e poderia ser toscamente comparada à uma ginástica cerebral. Enfim, a Matemática é repleta de utilidades não matemáticas.

Para os matemáticos, porém, o questionamento sobre a utilidade da Matemática é totalmente inútil. Utilidade? Como assim? O conhecimento é um fim em si, dirão, não requer utilidade para ser buscado. Basta ao matemático a maravilhosa sensação da descoberta dos mistérios dos números. Além disso, o conhecimento matemático é uma experiência estética. Sim, a Matemática é bela e a beleza só é bela na maioria dos casos porque é matemática. Por fim, a Matemática é mística. Galileu dizia que a Matemática é a linguagem usada por Deus para escrever o mundo.

Diante disso tudo, para que procurar utilidade para a Matemática? Talvez, eu não consiga com esses argumentos melhorar a relação do meu filho com os números e nem há razões para forçar essa aproximação. O mundo não funcionaria se todos tivessem os mesmos interesses. É matemático: precisamos de sociodiversidade.

Veja também: Todos os países do mundo no Excel

Nesta planilha você encontra dados de todos os países do mundo, além de territórios autônomos e áreas em disputa. Com ela é possível fazer boas análises que interessam a quem gosta de Geografia, para quem viaja e a estudantes fazendo pesquisas. Faça o download grátis.

Assista ao vídeo com a análise dos dados da planilha.

6 thoughts on “Para que serve a Matemática?

  1. Josineide
    Sua reflexão é lindo, adoro os desafios q a matemática me impõe, sabe pq a maioria das pessoas não gosta dessa ciência é pq ela desafia e o ser humano detesta ser desafiado rsrsrsrs. Eu não sei muito mas sinto maravilhada diante das possibilidades de resolução de problemas q ela nos ofereçe, é grandiosa em auxiliar toda as outras ciências.

  2. Eu descobri ontem que meu sobrinho detesta matemática. Eu adoro. E acho que a forma como é ensinada é péssima. É aprender por aprender, sem ser informado das infinitas conexões entre o mundo real ou virtual e a matemática. Lamento demais a postura pragmática e pouco filosófica ou associada à Física no ensino da matemática e peço à Letícia que “não tenha preconceito com a Matemática. Ela é linda. Os professores é que são péssimos”. E não acho que as pessoas detestam desafios, Josi, acho que as pessoas tem que ter sua curiosidade despertada para lidar com novos conhecimentos, busca de explicações, etc.

  3. Radamés, parabéns pelo artigo, e se fosse meu filho, eu tentaria explicar dizendo que a matemática também é uma linguagem, como o português e a linguagem musical (pautas, minimas, tempos, etc.). Por isto, a matemática antes de tudo descreve uma estória e toda estória boa tem um problema, um desafio, como nos filmes ou no desenvolvimento de uma sinfonia. A matemática tem um contexto e um apice, que é o desenvolvimento do problema. Peça ao professor dele que não fale apenas da resolução do problema descasada do contexto. Muito boa sorte e sucesso para seu filho.

  4. Por fim, muitos alunos meus de música (biolão básico) ficavam apavorados quando eu tinha que explicar os compassos, porque enxergavam frações. Eu percebia quão fragilizados e invertia o jogo dizendo: “não tenha preconceito com a matemática”. Assim a escolha de mudar de atitude era dos alunos, que se sentiam mais poderosos e não em um mundo deterministicos em que eram vítimas de algo horroroso como a matemática. Em geral, eles riam e abriam a mente para a explicação (sempre contextualizada na música).

  5. Não Gosto De Matemática..Mais Fazer O Que…! Nem Sempre Foi Assim, Quando Eu Estudava No 1° Ao 5° Ano,Eu Adora.. Depois Do 6° E 7° Ano Passei A Odiar,!! Essa É A Vida..Deve Ser Porque A Matemática Conforme O Tempo ,Vamos Aprendendo Coisas Novas E As Contas Começam Ficar Mais Complicadas!

Sua opinião me interessa