Questões do Enem não são inéditas. Que bom!

A edição 2011 do Enem também teve furo de segurança: alunos do Colégio Christus de Fortaleza fizeram um simulado de Enem na semana anterior a da prova oficial. 14 questões da prova simulada eram praticamente iguais às encontradas na prova oficial 2011. Parte da imprensa, alarmista e pouco informada, caiu de pau em cima do MEC cobrando explicações para o incidente e quando as explicações vieram, espalhou pelo Brasil afora mais alarme e desinformação.

O Colégio Christus de Fortaleza participa de um programa do MEC de avaliação do ensino médio que, entre outras coisas, tem a função de calibrar questões para uso futuro no Enem. Realmente, as questões do Enem não são inéditas. Antes de entrarem para a prova oficial, elas são aplicadas a pequenos grupos de amostragem para fins de calibração. Nesse processo de pré-teste as questões são validadas e seu nível de dificuldade real é estabelecido. O pré-teste é uma garantia de que na prova oficial só vão constar questões de boa qualidade com nível de dificuldade conhecido. Dessa forma, é possível garantir matematicamente a comparabilidade de provas, ou seja, alcançar a nota 700 no Enem 2010 equivale exatamente a atingir a nota 700 no Enem 2011. O fato de as questões serem aplicadas em pré-testes não é motivo para indignação, portanto. O método TRI (teoria da resposta ao item) adotado pelo Enem é matematicamente embasado e internacionalmente abonado por outras instituições renomadas que o utilizam. Escandaloso seria usar questões não calibradas em uma prova realizada por cinco milhões de estudantes.

Mas sendo assim, onde estão os furos no caso do Colégio Christus? Primeiramente, o MEC não foi cuidadoso na aplicação do pré-teste. Se alguns cadernos do pré-teste foram parar nas mãos de professores do Colégio Christus é porque faltou rigor na segurança do processo. Em segundo lugar, nota zero no quesito ética para a equipe do Colégio Christus. O colégio assumiu compromisso de confidencialidade com o MEC e fazer um simulado utilizando questões do pré-teste é no mínimo uma vergonha. Espero pelo menos que o colégio seja eliminado do processo de pré-teste do MEC. Por último, há o problema do número elevado de questões de pré-teste que foram incorporadas à prova oficial. Em uma condição ideal, o Colégio Christus não seria contemplado com tantas questões da prova oficial. O MEC está colocando muitos ovos na mesma cesta. Quem garante que situações similares não ocorreram em outras escolas pelo Brasil sem que tenham chegado a público?

Independente das falhas que anualmente acontecem, o Enem continua sendo um instrumento poderoso para direcionar o Ensino Médio no Brasil. Sim, poderia haver mais edições anuais, talvez as provas pudessem ser diferentes em cada estado. Isso amenizaria o problema da alta concentração do Enem atual em que todas as cartas são jogadas em apenas em uma prova anual e nacional. Independente das pendências ainda acredito que o Enem é o caminho a seguir. Consolidei essa ideia depois que minha filha passou na UFPR em 2010 graças à sua nota no Enem.

Veja também: Todos os países do mundo no Excel

Nesta planilha você encontra dados de todos os países do mundo, além de territórios autônomos e áreas em disputa. Com ela é possível fazer boas análises que interessam a quem gosta de Geografia, para quem viaja e a estudantes fazendo pesquisas. Faça o download grátis.

Assista ao vídeo com a análise dos dados da planilha.

Sua opinião me interessa