Diário da quarentena

Desde que iniciou a quarentena para conter o Covid-19 no Brasil resolvi não expressar minha opinião em redes sociais. Primeiro, para não tumultuar mais o ambiente já caótico por si. Segundo, para não queimar a língua opinando sobre assuntos que não disponho de informações precisas para me embasar. Terceiro, para não ser oportunista defendendo minha posição política em um momento delicado e inédito como esta pandemia.

No entanto, resolvi registrar minhas impressões em meu blog pessoal, sabendo que não haverá repercussão no que escrevo e que meu texto ficará disponível para visita no futuro quando teremos uma perspectiva menos emocional sobre o período.

27-0-2020

Segue a polarização: Salvem vidas x salvem a economia. Parece incrível mas a milenar polarização aristotélicos x platônicos, realistas x idealistas, direita x esquerda, durante a quarenta se estabeleceu no dilema fundamental desta pandemia: saúde x economia. Não adianta dizer que a decisão é simples e que a vida vem antes dos empregos. Se uma recessão profunda vier depois da pandemia vai faltar dinheiro para a saúde, para o saneamento, para acabar com a pobreza extrema. E isso vai causar mortes que não há como conectar diretamente a uma decisão política passada. O governo adota uma postura de sinais trocados. Enquanto vários ministérios trabalham para salvar vidas propondo isolamento social forte o presidente adota um discurso de que a economia não pode parar. É possível conciliar as duas coisas? Tenho o pressentimento que o discurso de que a economia não pode parar é mais retórico do que efetivo e que no final teremos uma curva achatada de propagação do vírus combinada com uma recessão que vai se arrastar por anos.

24-03-2022

Em 24-03-2020 o presidente Jair Bolsonaro falou em cadeia nacional defendendo o isolamento vertical contra o Coronavirus. Nesse tipo de isolamento somente os grupos de risco sofrem restrições severas de isolamento social. Segundo o presidente, dessa forma será possível preservar a economia e ao mesmo tempo combater a pandemia em território brasileiro. A reação ao pronunciamento foi na maioria de críticas pesadas do meio político e da mídia. Uma parte da população, porém, se alinhou ao presidente defendendo também um gradual restabelecimento da atividade econômica.

Fiquei refletindo sobre esse posicionamento do presidente. Diferente dos especialistas surtados prefiro crer que há uma estratégia nos movimentos do presidente. Uma estratégia arriscada, mas é uma estratégia. Os que se alinham ao presidente são os mais prejudicados pelo lockdown. Não devemos ignorar a capacidade do presidente para captar o sentimento da maioria silenciosa. Espero que ele esteja amparado por projeções sobre a evolução do surto virótico. Se a curva de imunização no Brasil for mais acelerada do que em outros países ele pode sair fortalecido politicamente, pois, poderá dizer mais tarde que salvou a economia do colapso sem descuidar da saúde da população. Nesse caso, sairão como grandes perdedores a mídia e os políticos à esquerda. O presidente optou nesse momento por polarizar com os governadores de SP e RJ, ambos de centro-direita. Quer dizer, de quebra ele estará construindo um cenário para as eleições de 2022 em que os candidatos viáveis estarão à direita no espectro ideológico.

Veja também: Todos os países do mundo no Excel

Nesta planilha você encontra dados de todos os países do mundo, além de territórios autônomos e áreas em disputa. Com ela é possível fazer boas análises que interessam a quem gosta de Geografia, para quem viaja e a estudantes fazendo pesquisas. Faça o download grátis.

Assista ao vídeo com a análise dos dados da planilha.

Sua opinião me interessa