Você é de direita, esquerda, de centro ou muito pelo contrário?

Há tempos que me considero uma pessoa de extremo centro. Não que eu fique em cima do muro em relação a questões polêmicas, mas no sentido que em algumas questões meu posicionamento está à direita, em outras à esquerda. Na média, somando as forças que puxam para um lado e para outro a resultante é nula.

encruzilhada

Essa minha maneira de ser não é exceção. Uma pesquisa recente mostra que o centrismo imaginado como posição intermediária entre extremos é uma lenda. O que existe são pessoas que ora assumem posições à esquerda ora à direita no espectro político. Só para exemplificar: eu sou contrário ao aborto e essa opinião costuma ser tratada como direitista, conservadora. Por outro lado, sou a favor da união civil homossexual, opinião geralmente vista como esquerdista, progressista.

A pesquisa que pode ser vista neste link mostra que a maioria das pessoas tem opiniões firmes sobre as chamadas questões polêmicas. Poucas são aquelas que hesitam em dar um sonoro SIM ou NÃO quando indagadas sobre temas de fundo.

Outro fato curioso que a pesquisa revela é que não existe uma correspondência clara entre se declarar de esquerda e defender as causas típicas de esquerda. O mesmo vale para quem se declara de direita. Um exemplo: no Brasil  apenas 18% das pessoas se veem como de direita, mas 70% dos pesquisados querem uma polícia dura no combate ao crime, ou seja, no quesito segurança a população brasileira tem uma postura massiva de “direita”. Outro exemplo: no Brasil 27 % das pessoas se declaram de esquerda, mas 60% são contra alterar os direitos previdenciários. Quando o assunto é aposentadoria a maioria dos brasileiros empunha a bandeira vermelha.


Veja também: Todos os países do mundo em Excel

Baixe a planilha com dados de todos os países e territórios autônomos do mundo. Download Assista ao vídeo com a análise dos dados da planilha.

Em resumo, não somos nem de esquerda, nem de direita, nem de centro. Se servir de consolo, os brasileiros não são os únicos a se dispersar no espectro político tradicional. Em outros países o mesmo fenômeno se observa. As pessoas são incoerentes ou será que as bandeiras da esquerda e da direita estão embaralhadas de um jeito que ninguém mais sabe onde começa uma e termina outra? As categorias esquerda x direita foram criadas por pensadores de esquerda e para essas pessoas quem contesta a polarização é conservador, direitista, etc. Infelizmente, a discussão política permanecerá contaminada por essas categorias por muito tempo ainda, mas para ser franco, o maniqueísmo direita x esquerda poderia ser relegado aos livros de História, Em pleno século XXI  ela só atende a interesses políticos de nobreza duvidosa.

Autor: Radamés

Engenheiro curitibano pela UFPR, professor e produtor de conteúdos e ferramentas educacionais para a Internet.

1 pensamento em “Você é de direita, esquerda, de centro ou muito pelo contrário?”

  1. Também compactuo com muitas das suas ideias. Infelizmente, no nosso país, ser de centro é ser de direita, visto que nossa direita é centro-esquerda ou centro (no máximo centro-direita conservadora). tenho certeza que a maior parte das suas rixas são com pessoas auto-declaradas de esquerda. Temos uma população maciçamente de esquerda econômica e um extremismo liberal-esquerdista crescente. Na América Latina toda vem sendo assim por muito tempo. Falo isso como um “um centrista no espectro econômico levemente mais liberal do que conservador no espectro social”. Para padrões latinos, defender comunismo, economia planificada e ditaduras populistas é visto como normal e elogiável (característica de extrema-esquerda). Esquerda moderna? Social-democracia? Socialismo estatal? Social-liberalismo? Tudo extrema-direita!
    Quer saber de um ótimo jeito para conhecer seus posicionamentos políticos? https://www.politicalcompass.org/test/pt-br

    PS: é incrível como os próprios extremistas chamam os centristas, de esquerda ou de direita de extremistas.

Sua opinião me interessa