Homem de dupla jornada

Confesso que ao ouvir queixas de algumas mulheres sobre dupla jornada (trabalhar fora e em casa) sempre fiquei meio perplexo. Para mim essa é uma conversa em grego.

Quando eu era criança meus pais trabalhavam fora e não tínhamos empregada doméstica, por isso desde aquele tempo eu ajudava em casa. Quando constituí minha própria família sempre fiz tarefas como lavar a louça, varrer a casa e fazer compras no supermercado. E não era de vez em quando só para ficar bem na foto. Meu pai perdeu minha avó quando era criança e também ajudava em casa por necessidade. Ainda hoje o velhinho cuida de sua roupa, faz sua comida e arruma a sua cama. Essa história de dupla jornada na minha família é um assunto resolvido há mais de cinquenta anos. É por isso que acho estranho quando alguém fala comigo sobre dupla jornada com sangue nos olhos. Talvez por conta desse meu jeitão carrancudo … Coitados daqueles que julgam por aparências e estereótipos.


Veja também: Todos os países do mundo em Excel

Baixe a planilha com dados de todos os países e territórios autônomos do mundo. Download Assista ao vídeo com a análise dos dados da planilha.

Continue lendo “Homem de dupla jornada”

Dez habilidades da mulher moderna

As mulheres estão ampliando a cada dia seu espaço na sociedade. Elas estão nas faculdades, nas empresas e na política. As diferenças sociais entre homens e mulheres diminuem a olhos vistos, porém alguns resíduos da cultura machista persistem nos dias atuais. Não estou falando de homens mas de mulheres machistas que ainda consideram algumas atividades como coisa de homem. Dizem que as mulheres precisam se dividir em duas ou três durante o dia: a mãe, a profissional, a esposa, etc. Eu diria que elas precisam assumir mais alguns papeis para fechar o ciclo de independência feminina e da igualdade entre os sexos. Apresento aqui dez habilidades esperadas de uma mulher contemporânea.

  1. Mecânica. A mulher moderna é capaz de resolver problemas do carro como trocar um pneu ou um fusível queimado. Ela entende um pouco de mecânica e mesmo que não ponha a mão na massa consegue falar de igual para igual com o mecânico. Assim, não é enrolada, pois sabe diagnosticar se o problema do carro que não pega está na bateria, no alternador ou no motor de arranque.
  2. Informática. Mulher moderna instala software, formata o HD, gerencia pequenas rede e faz backup. Ela domina o processador de texto, monta planilhas e cria apresentações, além de circular bem pela mídias sociais e baixar aplicativos no celular.
  3. Eletricidade. Fazer pequenos reparos na rede elétrica em casa, como trocar a resistência do chuveiro ou descobrir porque o disjuntor está desarmando são tarefas que não assustam a nova mulher.
  4. Hidráulica. Se a torneira está pingando ou o sifão está entupido a mulher maravilha entra em ação e resolve a parada.
  5. Civil. Mulher com M é capaz de fazer pequenos reparos de alvenaria, carpintaria, marcenaria e pintura na casa.
  6. Jardinagem. Espera-se que ela saiba cuidar das plantas sabendo em que época elas florescem, se precisam de sombra ou de sol e que saiba fazer uma horta doméstica.
  7. Contabilidade. A nova mulher controla as despesas da família no Excel, usa o internet banking, faz a declaração de imposto de renda e conhece a burocracia do estado brasileiro.
  8. Saúde. A mulher de hoje tem noções sobre prevenção às doenças, atende pequenas emergências do cotidiano e sabe tomar as providências para garantir a saúde das pessoas próximas.
  9. Culinária. A mulher contemporânea vai à cozinha sem sentimento de culpa, se vira com refeições triviais e, quem sabe,  pode preparar um prato especial para as visitas.
  10. Prendas domésticas. A mulher de hoje é independente e consegue fazer tudo que sua avó fazia como pregar um botão na camisa ou fazer uma geleia.

Caso você seja uma leitora, a esta altura pode estar pensando: “Nada disso me diz respeito”. Nesse caso, tente responder a quem compete essas tarefas. Não vale dizer que ficam por conta do maridão. Lembre que o marido moderno precisa de tempo para frequentar academia e ir ao salão cuidar da sua aparência de metrossexual. Algumas privilegiadas talvez prefiram pagar para que profissionais especializados façam cada uma dessas coisas que é possível fazer em casa com as próprias mãos, mas estamos falando de independência e autonomia. Além disso, no futuro próximo será cada vez mais difícil e caro contratar serviços da vida doméstica. De qualquer maneira, será comum ser atendido em casa por mecânicas, encanadoras, jardineiras porque não existe mais essa história de serviço de homem.

Crédito de imagem

Homem que é homem

Esses dias eu almoçava no restaurante e não pude deixar de ouvir uma conversa animada de mulheres que discutiam a utilidade do homem. Uma delas disse que homem só serve para carregar peso e pagar despesas. Confesso que fiquei abalado com a declaração, afinal eu pensava que nesses tempos pós-modernos as mulheres queiram os homem somente para o sexo. Durante a tarde, meditando no assunto, conclui que o machismo é uma filosofia mais difundida entre as mulheres do que entre os homens. No mesmo dia, assisti alguns trechos da novela das nove. Eu estava passando pela sala bem ha hora, bem entendido. Chocado, vi personagens femininas tratando homens como meros objetos sexuais. Opa, pelo menos na novela os homens são úteis para o sexo. No intervalo da novela passou uma propaganda da Bombril onde a Marisa Orth recomenda às mulheres que tratem seus homens como cachorrinhos. No final desse dia revelador eu estava cheio de questionamentos. Afinal, o que as mulheres esperam dos homens? O que é ser homem no século XXI? Atormentado pelo crepúsculo do macho cheguei a algumas conclusões. Homem que é homem …

Assiste novela. Não precisa ficar dando desculpas de que só viu um trechinho enquanto esperava o futebol. A novela contemporânea é uma crítica de costumes que pode nos dar valiosas dicas sobre o comportamento humano, em especial o feminino. Além do mais, não importa o que você vê mas com que olhos vê o que vê.

Faz balé. Convenhamos, dar aqueles saltos no ar e erguer a bailarina com uma só mão requer muita força e preparo físico. Coisa de macho.

Chora. Sim, o homem moderno pode chorar de vez em quando desde que seja por um motivo razoável. Uma lágrima derramada em momentos tensos revela sensibilidade e dá um toque de humanidade ao brucutu.

Tem pegada. O homem moderno pode ser romântico, mas a tal da pegada está a cada dia mais popular. Parece que as mulheres gostam de homens sensíveis, desde que compareçam na hora H.

Luta pela igualdade entre os sexos. Por que mulher se aposenta antes se elas vivem mais? Por que a maioria das mulheres não se sujeita a virar o galão de água mineral? Vamos levar a sério essa história de igualdade de direitos.

Talvez um dia o homem contemporâneo oprimido consiga se libertar dos estereótipos. Não somos meros provedores, objetos sexuais, caras que fazem o serviço pesado, sujo e perigoso. Não sei não, mas acho que precisamos criar o Dia Internacional do Homem.

Quem tem saudades da Amélia?

A minissérie Dalva e Herivelto da Rede Globo nos mostrou um pouco da música brasileira da década de 1940 e não poderia faltar nesse panorama a canção Ai que saudades da Amélia de Ataulfo Alves e Mario Lago. Depois de escutar a música inserida no contexto de época comecei a matutar com meus botões: quem inventou essa associação da Amélia com o estereotipo da rainha do lar? Em décadas recentes, Amélia virou sinônimo de mulher submissa ao marido tirano, presa à rotina do lar, totalmente ultrapassada, enfim, uma escrava do lar. As feministas de plantão não perdiam a oportunidade de esbravejar:

— Tá me achando com cara de Amélia? Pois saiba que sou mulher emancipada.

No entanto, se prestarmos atenção não é essa a mensagem que está na música. Faça o teste. Leia a letra da canção apresentada no final do post e ignore que se trata de uma canção de 1942. Para começar, ela nos fala de outra mulher, a sucessora da Amélia que não é nomeada na canção, mas que tem lá seus defeitos e nem de longe se compara à virtuosa Amélia. A sucessora é uma sem noção, como diriam os jovens de hoje. Ela não é um exemplo do feminismo, porque apesar de exigente, não reivindica direitos e, sim, luxo e riqueza. Amélia, ao contrário, é uma pessoa que apoia o amado mesmo na pobreza. Amélia não tem vaidade, o que pode ser um defeito para a mulher bem posicionada na vida, mas certamente é um desprendimento útil para quem enfrenta a miséria. Não seria ousado afirmar que Amélia era uma mulher devotada ao seu amor e companheira para todas as horas. Nos dias de hoje será que existem mais Amélias ou sucessoras?

Não sei o que Ataulfo Alves e Mario Lago diriam sobre emancipação da mulher, nem o que a Amélia pensava sobre relações conjugais modernas. Acredito também que a sucessora da canção não é o modelo de mulher defendido pela causa feminista, que nunca fez a apologia do consumismo e do interesse. Agora que já temos uma perspectiva histórica tanto da música como dos movimentos de emancipação feminina acho que dá para dizer de novo: ai que saudades da Amélia.

Ai que saudades da Amélia
Composição de Ataulfo Alves e Mário Lago
Lançamento: 1942

Nunca vi fazer tanta exigência
Nem fazer o que você me faz
Você não sabe o que é consciência
Nem vê que eu sou um pobre rapaz
Você só pensa em luxo e riqueza
Tudo que você vê você quer
Ai, meu Deus, que saudade da Amélia
Aquilo sim é que era mulher

Às vezes passava fome ao meu lado
E achava bonito não ter o que comer
E quando me via contrariado
Dizia: Meu filho, que se há de fazer

Amélia não tinha a menor vaidade
Amélia é que era mulher de verdade
Amélia não tinha a menor vaidade
Amélia é que era mulher de verdade

Às vezes passava fome ao meu lado
E achava bonito não ter o que comer
E quando me via contrariado
Dizia: Meu filho, que se há de fazer

Amélia não tinha a menor vaidade
Amélia é que era mulher de verdade
Amélia não tinha a menor vaidade
Amélia é que era mulher de verdade