A besta de Tebas

Há muito tempo, próximo a Tebas
habitava uma besta com corpo de animal,
rosto de mulher e frágeis sentimentos humanos.
Obcecada por um enigma,
a besta atacava os viajantes,
ofertando-lhes a vida ou a morte
segundo a resposta que lhe dessem.
Como os mortais não satisfaziam
sua ânsia de esclarecer o enigma
a besta a todos devorava
e passou a ter consigo a certeza
que apenas um semideus saciaria
sua angustiada curiosidade.
E ocorreu que certa feita
Édipo, um semideus,
cruzou o caminho da besta.
O enigma foi proposto
mas Édipo não compreendeu
e disse à besta que o enigma era o homem.
A besta, estranhamente não o devorou
mas desistiu de buscar a solução do enigma.
Acometida de repentino desespero
lançou-se ao abismo.
Então propagou-se a lenda
que Édipo venceu a esfinge.

Autor: Radamés

Engenheiro curitibano pela UFPR, professor e produtor de conteúdos e ferramentas educacionais para a Internet.

Seu comentário também é poesia