12 x 7

78
Pobre vampiro.
Como eu,
não se vê no espelho.

79
No zoológico,
a fauna exótica em exposição.
Além e aquém das grades.

80
Míope, o triângulo
escaleno via-se
eqüilátero no espelho.

81
Longos anos me libertando
do passado. Outros tantos,
para me reconciliar com ele.

82
O oculista: o senhor enxerga longe.
Seu problema é não ver
debaixo do nariz.

83
Poesia: palavra garimpada
onde os outros
só lavraram sentimento.

84
Não esquente:
a dor, no cérebro, é só
uma ínfima corrente.

Autor: Radamés

Engenheiro curitibano pela UFPR, professor e produtor de conteúdos e ferramentas educacionais para a Internet.

Seu comentário também é poesia