Mensagem

O náufrago se aproxima da arrebentação
e lança a garrafa ao mar.
O que nela se contém?
Pedido de socorro,
oferenda aos deuses,
declaração de amor?
As águas tecnológicas devoram as palavras
e as levam para destino incerto.
Noutra praia, noutra máquina,
outro náufrago, sentado espera.

Autor: Radamés

Engenheiro curitibano pela UFPR, professor e produtor de conteúdos e ferramentas educacionais para a Internet.

Seu comentário também é poesia