Sem limites

Ah, comerciais do cigarro Hollywood
no horário nobre.
Fulminam-me, boquiabrem-me.
Ah, conquistar o cume
dos icebergs da Antártida,
Desbravar super sônico,
as dunas do Saara.
Não quero a rotina mofa
as sensaborias rotas
da vida pacata.
Quero o adrenalinado
sabor de conquista
que só me dão os comerciais
de Hollywood no horário nobre.
Impecáveis produções milionárias,
lapidares, conclusivas provas
da genialidade sem par
da nossa elite criadora.
Como me calam suas fundas verdades,
a luz que projetam
nos absconsos da alma humana.
Que mágica operam estes comerciais.
Vendem cigarro
sem falar de cigarro
e fumar fica tão esportivo,
nem de longe cancerígeno.
Quem me dera ser um comercial
de Hollywood no horário nobre.

Autor: Radamés

Engenheiro curitibano pela UFPR, professor e produtor de conteúdos e ferramentas educacionais para a Internet.

Seu comentário também é poesia