Adoração de Baal

Eu vi em sonho
no futuro esquecido
primitivos adorando
a imagem de Baal.
E Baal era um deus
do início dos tempos,
tempo em que o bem
não havia se separado do mal
e tanto o bem como o mal
existiam no mesmo deus.
Baal tinha duas faces
numa só cabeça.
Numa face havia amor
e na outra, ódio.
Enquanto amor mirava o Norte
ódio fitava o Sul.
E logo ódio estava a Norte
e amor a Sul, pois,
a cabeça girava continuamente.
Com uma mão Baal
semeava maná
e com a outra praga.
Eu vi o ciclo dos tempos
se fechando.

Autor: Radamés

Engenheiro curitibano pela UFPR, professor e produtor de conteúdos e ferramentas educacionais para a Internet.

Seu comentário também é poesia