Bilac

Nas minhas caminhadas
por este mundo a parte,
é diante de ti que estaco,
como arqueólogo diligente
sobre pergaminhos cifrados
de uma civilização passada.
Amaste com fé e orgulho,
tombaste em prol do estilo
e eu que não amo e não tombo
rio de teu mundo saudável
quando o risível sou eu.
Ah, se ainda houvesse tema elevado,
se fosse possível soneto bem torneado,
se não houvesse escombro e caos.

Valor de mercado

Falar, citando Quintiliano,
sobre aqueles homens beócios
dos primeiros tempos,
que criavam palavras
segundo a primeira impressão que
lhes suscitava o contato com as coisas:

Sem valor de mercado.

Dizer não,
resistir ao impulso
de fazer errado
só porque todo mundo faz:

Sem valor de mercado.

Ver nos olhos de seu filho
uma mágoa escondida,
abraça-lo e pedir que lhe abrace
o mais forte possível:

Sem valor de mercado.

Descartável

Este poema é one way,
sem retorno, descartável.
Após a leitura, esqueça-o.
Foi elaborado com substâncias diuréticas
que propiciam assimilação rápida
e excreção imediata.
Fácil vem, fácil vai.
Contém uma proposital redundância
que garante pela repetição
uma absorção tranquila,
dispensando retornos e releituras.
Enfim, um poema
que não deixa resíduos
nem produz efeitos colaterais.
Pronto. Está lido.
Nem doeu, não é mesmo?
Não precisa ficar aí parado.
Pode passar para a próxima página.