Casa autônoma é um sonho ecológico possível?

Viver em uma casa ecológica é o sonho de muita gente, mas o que define a casa ecológica? A condição essencial é que ela gere um impacto ambiental bem menor do que as casas “normais”. Quanto menor? É difícil dizer, pois não existe padrão para esse cálculo. Na minha escala pessoal eu diria que uma redução de pelo menos um terço seria o mínimo aceitável. Ecologistas mais aguerridos, porém, sonham mais alto e acreditam que uma casa pode alcançar níveis muito baixos de impacto ambiental chegando em alguns quesitos ao impacto zero. Uma das formas de reduzir o dano ambiental de uma moradia é torna-la autônoma em vários aspectos como veremos a seguir:


Veja também: Simulador de consumo de energia em Excel

Baixe a planilha e faça um cálculo preciso do consumo de energia elétrica em sua casa. Download Assista ao vídeo e veja como usar a planilha.

Continue lendo “Casa autônoma é um sonho ecológico possível?”

O ecologismo apocalíptico contra o desenvolvimentismo predatório

Até bem pouco tempo o ecologista era um espécimen marginalizado pela sociedade, dominado por sentimentos de culpa e dado a profetizar o fim dos tempos. Ninguém levava a sério os ecologistas exceto outros ecologistas. O ecologista se sentia impotente para transformar o mundo na direção de uma civilização sustentável, pois não era ouvido, não encontrava fórum para se manifestar e tinha poucas alternativas viáveis a propor. Em função disso, o ecologista era um depressivo que carregava sozinho a culpa pelos males ambientais de sua espécie. Para esse ecologista dos primeiros tempos a humanidade caminhava para um apocalipse ambiental com direito às piores catástrofes que a mãe natureza enfurecida poderia criar. Bucólicos, idealistas, sonhadores, ingênuos, esses adjetivos eram usados pelos desenvolvimentistas para rotular os ecológicos da primeira geração.

Continue lendo “O ecologismo apocalíptico contra o desenvolvimentismo predatório”

Reunião de condomínio em Copenhague

Em 2009 tivemos a maior reunião de condomínio do mundo. Os 193 condôminos presentes na COP-15 (Conferência da ONU para Mudanças Climáticas) reuniram-se em Copenhague e como geralmente acontece em reuniões de condomínio predominaram interesses mesquinhos, política rasa e nenhum acordo. O condomínio Terra continua à espera de reformas urgentes para continuar habitável. Por que não houve consenso se o condomínio dá sinais de colapso?

Continue lendo “Reunião de condomínio em Copenhague”

Ecológico é: viver como nossos avós

Costumo dizer que ecológico é agir como nossos avós. Esses dias, uma colega de trabalho me lançou uma provocação bem humorada:

— Você quer dizer que devo sair por aí derrubando árvores?

De fato, o questionamento dela faz sentido e, por isso, vou esclarecer o que quero dizer quando defendo o estilo de vida de nossos avós.

Continue lendo “Ecológico é: viver como nossos avós”

Retorno ao xamanismo

No meio da floresta, uma sociedade tribal cultua Eiwa, a grande divindade que mantém todos conectados em uma imensa teia de relações. Os nativos acreditam que as árvores são sagradas e que ao tirar a vida de um animal caçado é preciso desculpar-se com a criatura e agradecer a ela pelo alimento que irá prover. Os nativos são exímios arqueiros e vivem em harmonia com a natureza, mas são atormentados pelos seres que vieram do céu. Os estrangeiros chegaram em grandes máquinas voadoras, são tomados por uma ganância desenfreada e pretendem devastar a terra sagrada. Não, não se trata da história de alguma tribo da Amazônia. Falo sobre Avatar, o novo filme de James Cameron.

Continue lendo “Retorno ao xamanismo”