Arquivo da tag: Psicologia

As mulheres preferem os inteligentes?

Os homens preferem as loiras e as mulheres preferem os inteligentes, certo? Há controvérsias. Algumas mulheres preferem homens, digamos, desinteligentes e muitas preferem mesmo os espertos. Inteligência em sentido estrito é aquela capacidade de resolver problemas complexos, mas esotéricos como deduzir um teorema ou entender a Crítica da Razão Pura de Kant. Já a esperteza é a capacidade de se dar bem. Os espertos entendem a diferença entre esperteza e inteligência, os inteligentes e os desinteligentes, não. Agora voltemos à preferência feminina. No tempo das cavernas, as mulheres preferiam os homens fortões porque eles eram melhores caçadores. Conquistar um fortão era garantia de proteína na caverna. Com o tempo, a preferência feminina se deslocou para os hominídeos inteligentes porque eles estavam melhor equipados para enfrentar a luta da sobrevivência em um mundo que começava a ser regulado por artefatos. Nos dias de hoje muitas mulheres não precisam mais de homens provedores e não existe mais uma relação direta entre inteligência e capacidade de sobrevivência. A esperteza, esta sim, pode ter um impacto favorável sobre o sucesso de um homem. Entenda-se sucesso como dinheiro, status, poder e mulheres. Devemos concluir então que as mulheres de hoje preferem os espertos? Não necessariamente. Como muitas delas podem prover seu próprio sustento não precisam mais ficar presas a essa lógica do interesse. Taí uma brecha para os homens inteligentes se darem bem com elas. E para os homens desinteligentes fica a dica: certas mulheres bem sucedidas não gostam de ninguém fazendo sombra em volta delas. E, de quebra, curtem uma certa rudeza nos modos.

Crédito de imagem: http://www.bupa.co.uk

A persistência e a teimosia

Em todos os textos que já li sobre as qualidades do empreendedor figura a persistência. Persistência, palavra bela que nos remete ao padrão de comportamento virtuoso de quem não se desvia do objetivo traçado, é obstinado, tenaz, perseverante. Por outro lado, desde cedo somos alertados dos perigos da teimosia. “Não seja teimoso, meu filho.” “Aquele velho é uma parede de teimosia.” A teimosia destrói relações entre as pessoas e leva ao isolamento. A teimosia é um dos tipos mais citados de chatice. Mas, afinal, qual é a diferença entre persistência e teimosia? Eu diria que ambas quando analisadas fora de contexto remetem ao mesmo padrão de comportamento. São absoutamente iguais quando observadas em si. A diferença? É simples. Teimosia é uma persistência que deu errado e a persistência é uma teimosia que deu certo.