Como reconhecer uma embalagem ecológica

Embalagens são um mal necessário. Elas protegem o produto e possibilitam o fracionamento, transporte e armazenagem das mercadorias.  O problema é o que fazer com elas depois de que cumpriram sua função.  Muitas empresas estão criando embalagens ecológicas, mas quais merecem realmente um selo verde? Infelizmente, não existe uma regulamentação do uso da expressão “ecológica” e, portanto, cada empresa chama de ecológica a embalagem que quiser. Cabe ao consumidor julgar se ela realmente merece o adjetivo que o departamento de marketing colou nela. Temos que avaliar o que compramos sabendo que não existe embalagem 100% ecológica. O que existem são embalagens com impacto ambiental bem menor do que aquelas que seguem as práticas tradicionais desse ramo. É provável que com o tempo o impacto ambiental das embalagens caia consideravelmente e que as embalagens ecológicas do futuro sejam menos danosas ao ambiente do que as produzidas hoje. Algumas características para observar nas embalagens:

Continue lendo “Como reconhecer uma embalagem ecológica”

Qual é a energia mais perigosa: petróleo, carvão, gás ou nuclear?

Quando recebemos notícias sobre o desastre nuclear de Fukushima ficamos assustados com os riscos que a energia nuclear apresenta. Um acidente nuclear é sempre uma ameaça de grandes proporções ao ser humano e ao meio ambiente. O desfecho do acidente de Fukushima ainda é incerto, mas felizmente seu balanço final deve ser menos trágico que o de Chernobyl, de longe, o pior acidente nuclear da história. Diante das notícias ruins que chegam de Fukushima somos tentados a perguntar: não seria melhor fechar de vez as usinas nucleares? Que bom se a resposta fosse simples, mas antes de responde-la é bom pensar na pergunta que vem logo em seguida: que fonte de energia seria usada para substituir a nuclear? A matriz energética mundial ainda é dependente dos combustíveis fósseis e não seria exagero afirmar que o fechamento de uma usina nuclear hoje implicaria na construção de outra do tipo termoelétrica movida a óleo, gás ou carvão. É claro que o ideal seria substituir a energia nuclear e dos combustíveis fósseis por fontes mais limpas como a solar, eólica ou de biomassa, mas enquanto esse sonho não se adapta à realidade dos números temos que fazer escolhas difíceis: energia nuclear ou combustíveis fósseis? Qual é a fonte menos perigosa? Qual delas prejudica menos o meio ambiente? Para ajudar na argumentação sugiro uma visita aos artigos da Wikipedia que tratam de acidentes nas indústrias da energia.

Continue lendo “Qual é a energia mais perigosa: petróleo, carvão, gás ou nuclear?”

A energia nuclear é a salvação do meio ambiente?

A substituição dos combustíveis fósseis por energia nuclear seria a solução para o aquecimento global? Boa pergunta. Quem dera fosse fácil responde-la. Se as usinas funcionassem em perfeita segurança, com certeza seria. Se tivermos outros acidentes nucleares como os de Chernobyl e Fukushima a história é outra. Como a questão nuclear é cercada de mitos vamos à frieza dos números.

Continue lendo “A energia nuclear é a salvação do meio ambiente?”

Como viver de luz do sol

Que tal uma casa que não precisa da energia elétrica da rua? A ideia da casa ecológica que gera sua própria energia ainda é um projeto difícil de colocar em prática, mas não impossível. Com a tecnologia disponível no comércio já se consegue criar casas autônomas em energia elétrica. O custo é alto, mas tende a cair à medida que a indústria da energia limpa for se estruturando melhor.

Continue lendo “Como viver de luz do sol”

No Brasil nunca teremos vazamento de petróleo em águas profundas, certo?

O vazamento de petróleo pelo poço da British Petroleum no Golfo do México foi citado na imprensa insistentemente como o pior acidente ecológico com petróleo na história dos Estados Unidos. Como se acidentes ecológicos dessa dimensão respeitassem fronteiras nacionais! Como se o problema fosse apenas de uma multinacional inglesa e do país que gosta de posar na condição de exemplo para os outros.

Continue lendo “No Brasil nunca teremos vazamento de petróleo em águas profundas, certo?”