Cuide do meio ambiente enquanto assiste TV

Ver TV é um lazer ecológico? Como é uma atividade de baixo impacto, sim. Com certeza, é mais ecológico do que viajar, mas perde para uma caminhada no parque ou, para uma prosa na varanda com os amigos. Para ver TV é preciso um televisor, energia elétrica e uma emissora que coloque a programação no ar. Produzir o programa custa caro, mas esse gasto é rateado entre muitos espectadores. Para o espectador fica o gerenciamento do impacto do aparelho e da energia elétrica, por isso, veja algumas dicas de meio ambiente sobre ver TV.

Televisores por residência. Em muitas casas é comum encontrar duas ou mais TVs, o que é ruim, pior ainda se todas forem ligadas ao mesmo tempo para sintonizar o mesmo canal. Que tal doar ou vender as TVs mais velhas e compartilhar um só aparelho em família? Isso rende até uma troca de ideias entre os viventes da casa enquanto veem a programação.

Tecnologia do aparelho. Há varias tecnologias de TV à venda: CRT, plasma, LCD, LED. A tecnologia CRT é a mais antiga, tem consumo específico alto e, provavelmente, será abandonada nos próximos anos. As TVs de plasma também não são econômicas. A tecnologia mais recente e de maior eficiência energética é a de LED. Seu preço ainda é alto, mas pode baixar à medida que se popularizarem.

Área de tela. Quanto maior a tela da TV, maior seu consumo de energia. Ao longo dos anos o tamanho médio das telas tem aumentado bastante. Houve um tempo em que a TV 21” CRT era padrão nas residências. Depois, veio a onda das CRT 29” e agora, o padrão que está se firmando é o das TVs widescreen 42”. Isso sem falar nas TVs maiores ainda de 50, 60 ou mais polegadas. As tecnologias LCD e LED têm baixo consumo específico de energia, mas essa eficiência acaba neutralizada se a área do aparelho for muito grande. Por isso, ao escolher um televisor, não se deixe levar pela ideia de que tamanho é documento.

Luminosidade do ambiente. Os oftamologistas recomendam um ambiente de luz suave para assistir TV; os ecologistas, também. Fechando as cortinas durante o dia ou usando um abajur na sala durante a noite é possível reduzir o brilho da TV e economizar energia. TVs mais modernas vem com sensor de luminosidade que ajusta o brilho automaticamente de acordo com a necessidade do ambiente.

Temporizador e sensor de luminosidade, sim; stand by, não. Alguns recursos tecnológicos são bem-vindos. Poder programar a TV para desligar sozinha depois de um tempo é ótimo para aqueles que dormem diante da TV e só acordam horas depois. O sensor de luminosidade é ótimo para ajustar o brilho da TV automaticamente e economizar energia. Por outro lado, TVs com stand by, que já foram moda, não são ecológicas. O consumo em stand by parece pequeno, mas em alguns aparelhos alcança 10 W. Um aparelho em stand by o mês inteiro faz diferença a mais na conta de energia.

Como se vê, dá para baixar o impacto ambiental até na hora de ver TV. Se você, porém, não curte TV pode reduzir ainda mais seu impacto ambiental recorrendo a formas de lazer mais ecológicas como fazer sexo, que geralmente não requer aparelhos elétricos e pode ser praticado com luz apagada. Só lembre  que esse lazer não deve resultar em crescimento populacional.

Veja também: Minimalismo Nutella

Assista ao vídeo e reflita sobre o sentido mais amplo do minimalismo.

Download grátis:

Carros mais econômicos do Brasil 2020

Lavadoras mais econômicas do Brasil 2020

Refrigeradores mais econômicos do Brasil 2020

Sua opinião me interessa