A escória da humanidade entrincheirada nos comentários de Internet

Muitos meios de comunicação digital estão desativando a área de comentários de suas publicações alegando que os custos da moderação ficam mais altos a cada dia. Claro que esta é a desculpa elegante para justificar o fim dos comentários de Internet.

O que está por trás dessa tendência “antidemocrática”, porém, é a conclusão de que os comentários se tornaram uma trincheira da escória da humanidade que os utiliza para fins torpes como calúnia, difamação, preconceito, racismo, ódio e defesa de extremismos de todo tipo. Esses comentários pouco ajudam a melhorar a compreensão do assunto tratado pela publicação e tão pouco melhoram a imagem do meio de comunicação. Se ao contrário, os comentários fossem benéficos à publicação digital os custos de moderação seriam absorvidos sem problemas.


Veja também: Todos os países do mundo em Excel

Baixe a planilha com dados de todos os países e territórios autônomos do mundo. Download Assista ao vídeo com a análise dos dados da planilha.

Sem comentários Continue lendo “A escória da humanidade entrincheirada nos comentários de Internet”

Coisas que entregam a idade

Cuidado com algumas coisas que realmente entregam como:

Dizer: Sou do tempo em que …
Usar camiseta por dentro da calça.
Adicionar um amigo no MSN.
Chamar o PT de partido de esquerda.
“Discar” um número de telefone.
Ter foto com paletó e gravata na carteira de identidade.
“Puxar” a descarga do banheiro.
Contar que assistiu a estreia de Robocop (o original).
Lembrar dos afluentes da margem direita do rio Amazonas.
Fazer prestação com cheque pré datado.
Saber para que servia DIR, DEL e FORMAT.
Lembrar de jogos do Paraná Clube na primeira divisão.
Ter algum documento batido à máquina.
Chamar um homem para virar o galão de água mineral.
Ter ficado forte tomando Biotônico Fontoura.
Achar que bicicleta e ônibus são transporte de pobre.
Fazer compra do mês antes que os preços subam (ops, essa talvez não).
Sentir saudades da seleção do Dunga (o Dunga capitão).
Ter diploma do curso de datilografia.
Saber quem matou Salomão Ayala.
Usar a calça na linha da cintura sem mostrar a cueca.
Ter ação na justiça contra os planos Collor, Bresser, etc.

FUSCA

Nós vamos invadir seu templo do consumo

Pois é, foram-se os bons tempos da invasão de praias. Quem é jovem há mais tempo como eu se lembra da canção:

… Mistura sua laia
Ou foge da raia
Sai da tocaia
Pula na baia
Agora nós vamos invadir sua praia …

Nós vamos invadir sua praia – Ultraje a Rigor

Agora a onda é o rolezinho, tipo de evento organizado pelas redes sociais em que jovens marcam uma ida em massa a shoppings centers. Se fosse uma coisa chique o rolezinho seria chamado de flash mob, mas o que está incomodando algumas pessoas é o fato de os rolezinhos serem praticados por jovens de periferia que gostam de uma algazarra e de vestir roupas de grife.

Fique claro que até o momento rolezinho não é um evento de índole socialista que elegeu os shoppings como local de protesto contra o consumismo capitalista. Tá certo, que já têm oportunistas ideológicos na área querendo pegar carona na repercussão dos rolezinhos na mídia, mas a consciência política dos “ativistas” do rolezinho ainda é escassa infelizmente. Por outro lado, está aumentando exponencialmente a indignação dos defensores da higiene social climatizada dos shoppings centers. Que horror ser incomodado no momento sagrado de lazer consumista por funkeiros da periferia, né gente?

Policiais reprimem rolezinho

A polícia já foi convocada para reprimir os rolezinhos. Dizem que shopping é propriedade particular que não pode ser invadida por qualquer um. Mas se é particular, porque a polícia tem que dar cobertura? Como contribuinte fico incomodado de ver a polícia gastando recursos na repressão de rolezinhos. Qual seria o delito praticado durante os eventos para a polícia comparecer de cassetete em punho?

Algumas pessoas veem os rolezinhos como um confronto entre elite e periferia, mas o fato é que eles acontecem em shoppings que no dia a dia são frequentados pelos próprios garotos e pessoas de condição social similar.  Será que nenhum lojista de shopping percebeu que os garotos do rolezinho são consumidores que adoram shopping a ponto de marcar encontros nesses caixotes refrigerados do consumo? Lojista que hostiliza rolezinho está expulsando seus clientes atuais ou futuros para longe da lojinha.

Você calcula o preço por kg dos produtos?

Quando vamos ao supermercado, muitas vezes ficamos assustados com o preço de alguns produtos vendidos por kg. É clássico o assombro com o preço do bacalhau de primeira nas vésperas da semana santa, mas poucas são as pessoas que fazem o cálculo do preço por kg de produtos comercializados em apresentações leves como um bombom, por exemplo. Não é possível comparar produtos diferentes com apresentações diferentes e, por isso, em alguns países, além do preço do produto embalado, o cliente deve ser informado do preço por kg, o que é uma forma interessante de avaliar se o que você está pagando considerando uma mesma base de comparação entre os produtos. Veja na tabela a seguir o comparativo entre produtos alimentícios comuns nas gôndolas do supermercado. balança

Produto Apresentação Peso
embalado
(g)
Preço
(R$)
Preço
por kg
(R$)
Açúcar refinado Caravelas Pacote 1000 1,58 1,58
Laranja Pacote 3000 4,98 1,66
Arroz tipo 1 Tio João Pacote 5000 12,98 2,60
Óleo de soja Soya Garrafa 900 ml 837 2,38 2,84
Banana caturra Cacho 1000 3,88 3,88
Feijão carioquinha Caldo Bom Pacote 1000 4,69 4,69
Feijão preto Caldo Bom Pacote 1000 5,48 5,48
Arroz integral Tio João Pacote 500 2,80 5,60
Frango resfriado Peça 1000 5,99 5,99
Feijão preto cozido Wapza Pacote 500 4,60 9,20
Açúcar mascavo Jasmine Pacote 500 6,68 13,36
Açúcar Fit União Sache 75 1,14 15,20
Pipoca de micro-ondas Elma Chips Pacote 80 1,39 17,38
Biscoito integral Club Social Pacote 156 2,98 19,10
Sucrilhos Kellogg’s Pacote 300 6,20 20,67
Azeite extra virgem Carbonell Garrafa 500 ml 460 11,58 25,17
Vinagre balsâmico La Violetera Garrafa 500 ml 500 12,98 25,96
Energético Red Bull Lata 250 6,49 25,96
Chocolate Talento Garoto Unidade 100 2,80 28,00
Manteiga com sal Aviação Lata 200 5,99 29,95
Salgadinho Cheetos Elma Chips Pacote 55 1,68 30,55
Bicoito Bom Gouter Nabisco Pacote 100 3,28 32,80
Chocolate Twix Unidade 45 1,48 32,89
Polenguinho tradicional Polenghi Pacote 34 1,28 37,65
Arroz desidratado Tio João Pacote 175 6,81 38,91
Picanha bovina resfriada Peça 1500 65,18 43,45
Sustagen chocolate Lata 380 16,98 44,68
Salgadinho Baconzitos Elma Chips Pacote 55 2,48 45,09
Palmito inteiro Barriga Verde Vidro 300 13,98 46,60
Doritos queijo Nacho Pacote 55 2,68 48,73
Queijo Parmesão Parmíssimo Pacote 250 12,48 49,92
Sapoti (fruta) Unidade 400 19,99 49,98
Batata Stax Cheddar Elma Chips Tubo 156 7,98 51,15
Bombom Lacta Lancy Unidade 30 1,68 56,00
Cereja Granel 250 14,75 59,00
Bacalhau do Porto Peça 800 63,18 78,98
Confeti Lacta Pacote 25 1,98 79,20
Tictac Menta Ferrero Rocher Frasco 16 1,48 92,50
Bombom Ferrero Rocher Pacote 170 20,48 120,47
Chiclete WinterGreen Mentos Frasco 56 9,98 178,21

Uma conclusão imediata da análise da tabela é que a expressão “a preço de banana” já não faz sentido. A banana não é mais o alimento mais barato do Brasil. Alguns vão dizer que não vale comparar alimentos básicos com produtos gourmet. Realmente, o valor agregado em cada tipo de alimento varia. A conveniência atualmente costuma valer muito e produtos fracionados em quantidades pequenas costumam esconder preços altos pelo kg. Por isso defendo que todo produto deveria ter seu preço por kg declarado na etiqueta do supermercado, pois o bolso do cliente não tem papilas gustativas e decide por critérios mais avaros.

Opostos que se repelem

Segundo o ditado popular os opostos se atraem. Esse mito se baseia na falsa ideia de que as pessoas buscam no outro aquilo que lhes falta. Vamos admitir que a sabedoria popular se aplica a alguns casos de oposição complementar, aquela em que os comportamentos ficam em lados opostos da escala, mas se completam harmoniosamente. Para ser franco, não consigo imaginar muitos casos de oposição complementar; talvez seja o caso da relação entre o autoritário e o submisso ou entre o tagarela com o bom ouvinte. O que predomina, todavia, no mundo das relações são as oposições conflituosas como a do sonhador x prático, do místico x materialista, do ingênuo x malicioso ou do metódico x improvisador.

cargas-elétricas

Analisando em maior profundidade, porém, veremos que mesmo comportamentos opostos conflituosos podem conviver de forma produtiva desde que os envolvidos não estejam muito afastados na escala de oposição. Deixem-me explicar partindo da relação entre uma pessoa organizada com outra bagunçada. Imaginem uma escala da organização que vai de 0 a 5. Os extremos da escala podem ser considerados patológicos. Pessoas extremamente bagunçadas (nível zero) podem ter problemas de convívio social, assim como aquelas que perseguem a organização de forma obsessiva (nível 5). Duas pessoas que estejam nos extremos opostos dessa escala vão entrar em choque, pois a distância entre elas na escala é muito grande. A matemática da compatibilidade consiste em tirar a diferença entre os números que definem cada pessoa. Um organizado nível 5 não conseguirá conviver com um bagunçado nível zero, pois existe um grau de separação de 5 pontos entre ambos. Distâncias pequenas de um ou dois pontos na escala de oposição podem ser produtivas. É o caso do convívio entre um sonhador moderado e um prático moderado em que um pode influenciar o outro sem que ninguém se sinta ultrajado.

Infelizmente, não há forma segura de medir a distância entre comportamentos opostos das pessoas para avaliar se elas são compatíveis entre si ou se as diferenças entre ambas podem ser interessantes para o desenvolvimento pessoal de ambas. Não há matemática suficiente para a quantidade de comportamentos opostos que as pessoas podem apresentar. Ingenuidade, porém, é desprezar a matemática e achar que os opostos sempre se atraem.