Captação de água da chuva

A água da chuva é destilada e cai sem cobrar impostos. Recolher essa água que vem do céu e aproveitá-la é uma tendência forte na busca de soluções para economizar água potável. A idéia é não perder a água da chuva que cai no telhado. Se ela não for captada, vai acabar se infiltrando na terra, ou então, pode ir para o sistema de águas pluviais urbano. Se esse sistema estiver sobrecarregado, a água não captada vai aumentar o caos dos alagamentos.

A água de chuva captada nos telhados não é potável porque entra em contato com impurezas por onde passa. No entanto, é boa para vários usos como descarga de vasos sanitários; lavagem de carros e calçadas ou irrigação de jardim. Em alguns casos, pode ser usada na lavagem de roupas.

Sistema de captação de água pluvial

Captação de água da chuva

Na ilustração, temos um esquema de como fazer captação de água da chuva. Veja os elementos desse sistema:

  • Calhas e dutos. A chuva cai nos telhados, é recolhida pelas calhas e conduzida até o filtro.
  • Filtros. Descartam o primeiro fluxo contaminado no início da chuva e removem sujeiras como folhas e insetos.
  • Cisterna. Pode ser instalada no chão ou enterrada e deve ter volume suficiente para armazenar uma boa quantidade de água.
  • Bomba: pode ser submersa ou bomba aspirante. Ela envia a água da cisterna para a caixa d’água elevada.
  • Caixa d’água elevada. É instalada em local alto para depois servir os pontos de consumo por gravidade.
  • Tubulação de distribuição. A água da chuva é distribuída para o vaso sanitário, a irrigação do jardim, o tanque de lavar roupa e a máquina de lavar.

A captação de água da chuva pode ser aplicada em residências, condomínios, prédios comerciais e industriais. Seu custo ainda é alto, mas vai se pagando aos poucos com a economia na conta de água. O consumo de água tratada em uma residência pode cair a menos da metade com a instalação de um sistema de captação de água.

Cisterna no piso ou enterrada?

A escolha da cisterna depende de quanto você está disposto a investir. Ela faz o armazenamento principal da água de chuva. Para evitar custos com escavação existem cisternas para instalar direto no piso. Elas tem menor capacidade, mas ocupam pouco espaço, não requerem obras no terreno.

cisternas modulares

A cisterna enterrada é a solução para quem quer aproveitar toda a água que cai no telhado. Elas tem volume maior e sendo enterradas não ocupam espaço. Nesse caso é preciso cuidado com a segurança. Mantenha o acesso à cisterna bem fechado no cadeado para evitar acidentes com crianças e animais.

Vamos dar um exemplo de dimensionamento do volume da cisterna. Digamos que você quer captar toda a água que vem do telhado e que seu telhado tem uma área de 100 m2. Uma chuva média em sua região costuma ter 30 mm de precipitação.

V = 100 m2 x (30 mm/1000) = 3 m3

Uma cisterna de 3 m3 teria capacidade para recolher toda a água do seu telhado durante uma chuva média.

Filtragem da água da chuva

A água da chuva é destilada e pura, mas no caminho que percorre pode recolher poeira, sujeiras do telhado, folhas, etc. Para resolver esse problema existem os filtros que se coloca antes da cisterna. Um bom filtro deve ter as seguintes características:

  • Separar e descartar o fluxo inicial de água que é o mais sujo.
  • Peneirar folhas e sujeiras maiores.
  • Impedir a entrada de insetos na cisterna.
  • Permitir a cloração da água da cisterna.
filtro para água da chuva

Onde usar água da chuva

A água pluvial não é potável, mas pode ser usada de várias formas como:

  • Irrigação de jardim e quintal.
  • Descarga de vasos sanitários.
  • Lavagem de pisos, automóveis, etc.
  • Lavagem de roupa.

Vantagens para o meio ambiente

A captação de água pluvial traz várias vantagens para o ambiente. Primeiramente, reduz o consumo de água potável, que custa caro e agride o meio ambiente com a criação de represas, consumo de produtos químicos, etc.

Em segundo lugar, a captação de água da chuva reduz o fluxo de água que corre para o sistema de águas pluviais durante as chuvas. Isso pode aliviar os transtornos com alagamentos pois a água será liberada aos poucos nos dias seguintes à chuva. O sistema de captação consome pouca energia e a maioria de seus componentes pode ser fabricada com plástico reciclado.

Com o tempo, é provável que o poder público crie mecanismos para estimular a captação de água de chuva na área urbana. O ideal seria que os proprietários de terrenos fossem responsáveis pela captação de toda a chuva que cai sobre as áreas construídas no seu terreno, incluindo aí calçamento e pavimentação. Essa medida teria a vantagem adicional de estimular a ampliação da área de infiltração na área urbana.

Como viver de água da chuva

A captação de água da chuva para consumo residencial está começando a se popularizar e a maioria dos projetos tem por objetivo substituir parcialmente a água fornecida pela concessionária. Ainda são raras propostas mais radicais como a de viver apenas com água da chuva. A ideia pode parecer estranha para quem imagina a água como um líquido farto que brota daquele cano que vem da rua. Quem vive no sítio sabe que a água também pode vir do fundo da terra ou da mina ao pé da serra. Em meio urbano, porém, a chuva é a opção próxima menos poluída que o cidadão dispõe para atender as necessidades da casa ecológica.

telhado chuva

Para conceber uma casa autônoma em água é preciso considerar o seguinte:

Captação. É possível abastecer uma casa apenas com água de chuva desde que São Pedro ajude e várias providências sejam tomadas pelos moradores. Vamos fazer algumas contas de padeiro: a Unesco estima que o consumo mínimo de água gira em torno de 110 litros por pessoa por dia, mas vamos considerar uma cota mais folgada de 200 litros/pessoa/dia, logo, uma casa com 4 pessoas consumiria 24.000 litros por mês. Se a casa contar com um bom projeto de reuso o consumo pode cair pela metade, afinal é possível lavar pisos, regar plantas e dar descarga com água reutilizada. Nessas condições, a família precisa captar 12.000 litros de chuva por mês. Vamos imaginar que a média de chuva na região fica em torno de 100 mm por mês, um valor normal para muitas regiões brasileiras. Para esse nível de precipitação, a casa teria que contar com uma área de coleta de 120 m2, valor compatível com a área de telhado das residências de classe média.

Tratamento. Depois de coletar a água da chuva será preciso armazená-la e tratá-la. Quanto mais uniforme for a distribuição das chuvas, menor pode ser a cisterna, mas é preciso encontrar um meio termo entre segurança contra falta de água e custo da armazenagem. De qualquer maneira, será difícil fugir de um estoque mínimo de 4.000 litros, distribuído entre cisterna e caixas elevadas. Água da chuva na teoria é puríssima, mas a poluição das cidades e a sujeira dos telhados exigem um tratamento básico para deixá-la em condições de uso residencial.

Se a ideia for substituir integralmente o consumo de água da rua, então uma parte da água pluvial terá que passar por tratamento adicional que a torne potável. Esses tratamentos podem ser feitos de várias formas. Uma solução típica envolve o descarte do primeiro fluxo de água, peneiramento, filtragem com areia e carvão e desinfecção final com hipoclorito. Um problema de quem trata a própria água em casa está na necessidade de acompanhar a qualidade e o bom funcionamento do fluxo. Isso toma tempo e requer algum conhecimento técnico, mas como é pelo bem do meio ambiente, vale o esforço, né?

Potabilidade. A água da chuva é destilada e muito pura enquanto se forma lá no céu, mas fica impregnada de algumas impurezas no caminho que percorre até chegar na caixa d’água. Para garantir a potabilidade da água da chuva é preciso filtrá-la e desinfetá-la. Alguns especialistas vão dizer que mesmo tratada a água de chuva não é ideal para beber, pois não é fluoretada e não contém os sais minerais presentes na água das companhias de saneamento. Realmente, será preciso compensar essa carência de outras formas. A água fluoretada previne a cárie dentária, mas existem outras maneiras de cuidar dos dentes e um dentista pode dar dicas a respeito. Para quem é exigente com o paladar e com as qualidades nutricionais da água que bebe, existe a opção do galão retornável de água mineral. A água mineral engarrafada é um pouco menos ecológica, mas pode simplificar a vida dos ecológicos moradores.

Volta ao passado. Usar a água da chuva para consumo familiar é uma prática antiga que remonta ao tempo dos castelos medievais. Pois é, mais uma vez fica demonstrado que a atitude ecológica costuma ser uma volta ao passado.

Veja também: Ambientalistas que se culpam por nascer

10 pensou em “Captação de água da chuva

    1. Olá,

      Você teria um esboço de ocorre a sua captação de água?
      você utiliza um sistema de drenagem ou utiliza “água bruta” que chega em seu telhado!?

  1. Gostaria de saber *(aproximadamente) o custo de equipamentos e instalações, para captação de água de chuva, para um depósito de 10 mil litros.
    Certo da atenção, agradeço.
    Francisco

  2. EXISTE ALGUM METODO DE CAPITAÇÃO DE ÁGUA DAS NUVENS.
    LI EM ALGUM LUGAR MAIS NÃO ESTOU ENCONTRANDO UM SISTEMA QUE CAPITAVA ÁGUA DAS NUVENS PELO SISTEMA COM TELA

Sua opinião me interessa