Arquivo da categoria: Política

O valor real do salário mínimo desde o plano Real

Salário mínimo em vigor para 2022: R$ 1.212,00

Desde que foi criado em 1940 o salário mínimo subiu e desceu em valor real como uma montanha russa. Engana-se quem pensa que vivemos o período com o salário mínimo mais valorizado. Durante o governo JK, na década de 1950, o salário mínimo paulista chegou a superar R$ 2.000,00 em valores de hoje ficando próximo do valor que o DIEESE considera o mínimo de verdade. Tudo bem que naquele tempo o salário mínimo não era unificado nacionalmente e muitos patrões desrespeitavam a lei, pagando abaixo do mínimo aos trabalhadores. Durante o regime militar o valor real do salário mínimo também superava na média o valor atual, mas já sofria a corrosão inflacionária. Após a redemocratização do país, o valor do mínimo despencou comprometido pela inflação galopante dos governos Sarney e Collor/Itamar. O momento de valor real mais baixo aconteceu no final do governo Itamar Franco e coincidiu com a implantação do Plano Real.

Depois disso, nas últimas duas décadas o salário mínimo pegou uma rampa ascendente e ganhou valor real gradativamente nos governos tucanos e petistas. O relativo controle da inflação nos últimos vinte anos ajudou a manter o poder de compra do salário mínimo ao longo do ano até que chegasse a hora de novo reajuste. Agora vamos aos números. A tabela abaixo mostra todos os valores do salário mínimo no período do Real.

dinheiro
Continue lendo O valor real do salário mínimo desde o plano Real

O que é a classe média?

O que é a classe média, afinal?  Nessa hora penso naquela família dos comerciais de margarina em que temos um casal com dois filhos vivendo em uma casa confortável com todo o aparato tecnológico de bens. Há um carro médio seminovo na garagem; os filhos estudam em escola particular e todos têm a saúde protegida por um bom plano de saúde. Com alguma frequência a família de comercial de margarina vai ao restaurante e uma vez por ano viajam em férias. Ensino superior e até pós-graduação são comuns para os adultos desse grupo. Embora vaga, acredito que essa é a imagem da classe média para a maioria das pessoas. O governo federal, o mercado e os intelectuais, porém, têm definições distintas para esse segmento social.

Família margarina

Calcule sua classe de renda familiar

Baixe a planilha grátis e calcule a classe de renda da sua família ou de qualquer outra.

Download
Continue lendo O que é a classe média?

Que fim levaram os candidatos a presidente da Nova República?

Desde a redemocratização em 1984 o Brasil já teve 64 candidatos a presidente concorrendo por 39 partidos diferentes. O perfil desses candidatos nos ensina sobre a nossa política. 21 desses candidatos, por exemplo, concorreram sem nunca ter exercido mandato eletivo anterior. Veja mais algumas curiosidades sobre eleições presidenciais da Nova República.

Enéas Carneiro PRONA

Quem mais concorreu?

  • Lula PT. 5 vezes (duas vitórias).
  • José Maria Eymael PSDC: 5 vezes.
  • José Maria de Almeida PSTU: 4 vezes.
  • Rui Costa Pimenta PCO: 4 vezes.

Partidos que lançaram candidatura própria

  • Oito vezes: PSDB (2 vitórias) e PT (4 vitórias).
  • Quatro vezes: DC, MDB, PCO, PDT, PSTU e PV.
  • Três vezes: PRONA.
  • Duas vezes: PCB, PMN, PPS, PRN, PRP, PRTB, PSB, PSOL e PSC.
  • Uma vez: Patriota, PCN, PDCdoB, PDS, PFL, PLP, PMB, PN, Podemos, PP, PPL, PPB, PPR, PSL, PSN, PSP, PTB, PTdoB e PTN.

Dos 39 partidos que disputaram a presidência 27 continuam ativos e 13 foram extintos (PCN, PDCdoB, PLP, PMB, PN, PPB, PPL, PPR, PRN, PRONA, PSL, PSN e PSP).

Continue lendo Que fim levaram os candidatos a presidente da Nova República?

Biografias chapa-branca

Pode ser preconceito meu, mas quando vejo um livro com a expressão biografia autorizada meu cérebro lê biografia chapa-branca. Sim, existem biografias autorizadas boas, porém as não autorizadas têm uma palavrinha a mais que no meu imaginário faz muita diferença em termos de credibilidade, pois passa a ideia de independência.

No Brasil, infelizmente, toda biografia em livro precisa ser autorizada. Quem publica a biografia sem a autorização do biografado ou de seus herdeiros corre o risco de ter a obra recolhida por ordem judicial, independente de ser boa, ruim, reveladora ou caluniosa. Foi o caso do livro Roberto Carlos em detalhes do jornalista Paulo Cesar de Araújo que é fã do Rei e consumiu anos de trabalho para escrever a obra. Casos como esse contrastam com a realidade de outros países onde as biografias não dependem de consentimento do biografado.

biografia não autorizada
Continue lendo Biografias chapa-branca