Que fim levaram os candidatos a presidente da Nova República?

Desde a redemocratização em 1984 o Brasil já teve 64 candidatos a presidente concorrendo por 39 partidos diferentes. O perfil desses candidatos nos ensina sobre a nossa política. 21 desses candidatos, por exemplo, concorreram sem nunca ter exercido mandato eletivo anterior. Veja mais algumas curiosidades sobre eleições presidenciais da Nova República.

Enéas Carneiro PRONA

Quem mais concorreu?

  • Lula PT. 5 vezes (duas vitórias).
  • José Maria Eymael PSDC: 5 vezes.
  • José Maria de Almeida PSTU: 4 vezes.
  • Rui Costa Pimenta PCO: 4 vezes.

Partidos que lançaram candidatura própria

  • Oito vezes: PSDB (2 vitórias) e PT (4 vitórias).
  • Quatro vezes: DC, MDB, PCO, PDT, PSTU e PV.
  • Três vezes: PRONA.
  • Duas vezes: PCB, PMN, PPS, PRN, PRP, PRTB, PSB, PSOL e PSC.
  • Uma vez: Patriota, PCN, PDCdoB, PDS, PFL, PLP, PMB, PN, Podemos, PP, PPL, PPB, PPR, PSL, PSN, PSP, PTB, PTdoB e PTN.

Dos 39 partidos que disputaram a presidência 27 continuam ativos e 13 foram extintos (PCN, PDCdoB, PLP, PMB, PN, PPB, PPL, PPR, PRN, PRONA, PSL, PSN e PSP).

Dos 33 partidos ativos no Brasil, seis nunca lançaram candidatura própria à presidência (PCdoB, PRB, PR, PSD, PROS e SD).

Candidatos por eleição

  • 1984: 2
  • 1989: 22
  • 1994: 8
  • 1998: 14
  • 2002: 6
  • 2006: 8
  • 2010: 9
  • 2014: 11
  • 2018: 13

Candidatos e eleitos

  • Oito mandatos. A Nova República já teve dois mandatos de cinco anos e seis mandatos de quatro anos.
  • Primeiro e segundo turno. Uma eleição da Nova República foi indireta (1984), duas foram decididas em primeiro turno (1994 e 1998) e as demais tiveram segundo turno (1989, 2002, 2006, 2010, 2014 e 2018)
  • Presidentes. Dos nove presidentes da Nova República um não assumiu o cargo (Tancredo), dois foram impichados (Collor e Dilma), três eram vices que substituíram o titular (Sarney, Itamar e Temer) e três se reelegeram (Dilma, FHC e Lula).
  • Mulheres. Dos 64 candidatos, oito eram mulheres (Ana Maria Rangel, Dilma Rousseff, Heloísa Helena, Lívia Maria, Luciana Genro, Marina Silva, Thereza Ruiz e Vera Lúcia).
  • Falecidos. Dois ex-presidentes (Itamar e Tancredo) e 13 candidatos não eleitos são falecidos (Affonso Camargo Neto, Antônio Pedreira, Armando Correa, Aureliano Chaves, Celso Brant, Enéas Carneiro, João de Deus Barbosa de Jesus, Leonel Brizola, Mário Covas, Orestes Quércia, Paulo Gontijo, Plínio de Arruda Sampaio, e Ulysses Guimarães).
  • Inexperientes. 21 candidatos concorreram à Presidência sem nunca ter exercido mandato eletivo.
  • Presidentes do MDB. O MDB tem o maior número de presidentes da Nova República: Tancredo, eleito indiretamente e três vices que substituíram os titulares: Sarney, Itamar e Temer.

Folclóricos

  • Marronzinho.  José Alcides de Oliveira concorreu à presidência em 1989 pelo PSP. Fazia ataques de baixo nível a torto e direita e respondeu a inúmeros processos por calúnia e difamação. Atualmente mantém um jornal evangélico em Osasco.
  • Meu nome é Enéeeeeaas.  O falecido cirurgião Eneas Carneiro concorreu três vezes à presidência.  Usava seu pouco tempo na TV para fazer discursos inflamados sempre terminando com sua famosa frase.
  • Ey-ey-ey-mael.  O democrata cristão Eymael já disputou cinco vezes a presidência sempre com o mesmo jingle.
  • Filhote da ditadura. O debate na Band em 1989 teve o memorável/lastimável confronto entre Paulo Maluf e Leonel Brizola.
  • Juntos chegaremos lá. Afif Domingos usou na campanha de 1989 um jingle que vinha combinado com uma coreografia de mãos que ficou famosa.
  • Aiatolá Pimenta.  O candidato do PCO há quatro eleições usa o espaço da propaganda eleitoral para iluminar o povo com suas profecias socialistas.

Planilha com dados da eleição 2018

Baixe a planilha grátis.

Todos os candidatos

  1. Aécio Neves. PSDB. 2014.
  2. Affonso Camargo Neto. PTB. 1989.
  3. Alfredo Sirkis. PV. 1998.
  4. Álvaro Dias. Podemos. 2018.
  5. Ana Maria Rangel. PRP. 2006.
  6. Anthony William Matheus Garotinho. PSB. 2002.
  7. Antônio Pedreira. PPB. 1989.
  8. Armando Correa. PMB. 1989.
  9. Aureliano Chaves. PFL. 1989.
  10. Cabo Daciolo. Patriota. 2018.
  11. Carlos Antônio Gomes. PRN. 1994.
  12. Celso Brant.  PMN. 1989.
  13. Ciro Ferreira Gomes. PPS. 2002, 2018.
  14. Cristovam Buarque. PDT. 2006.
  15. Dilma Rousseff. PT. 2010, 2014.
  16. Eduardo Jorge. PV. 2014.
  17. Enéas Carneiro. PRONA. 1989, 1994, 1998.
  18. Esperidião Amin. PPR. 1994.
  19. Eudes Mattar. PLP. 1989.
  20. Everaldo Pereira.  PSC. 2014.
  21. Fernando Collor de Mello. PRN. 1989, 1998.
  22. Fernando Gabeira. PV. 1989.
  23. Fernando Henrique Cardoso. PSDB. 1994, 1998.
  24. Geraldo Alkmin. PSDB. 2006, 2018.
  25. Guilherme Afif Domingos. PL. 1989.
  26. Guilherme Boulos. PSOL. 2018.
  27. Heloisa Helena. PSOL. 2006.
  28. Henrique Meirelles. MDB. 2018.
  29. Hernani Fortuna. PSC. 1994.
  30. Ivan Moacyr da Frota. PMN. 1998.
  31. Ivan Pinheiro. PCB. 2010.
  32. Jair Bolsonaro. PSL. 2018.
  33. João Amoedo. NOVO. 2018.
  34. João de Deus Barbosa de Jesus. PTdoB. 1998.
  35. José Alcides de Oliveira (Marronzinho). PSP. 1989.
  36. João Goulart Filho. PPL. 2018.
  37. José Maria de Almeida. PSTU, 1998, 2002, 2010, 2014.
  38. José Maria Eymael. PSDC. 1998, 2006, 2010, 2014, 2018.
  39. José Serra. PSDB. 2002 e 2010.
  40. Leonel Brizola. PDT. 1989 e 1994.
  41. Levy Fidelix. PRTB. 2010, 2014.
  42. Lívia Maria Pio. PN. 1989.
  43. Luciana Genro. PSOL. 2014.
  44. Luciano Bivar. PSL. 2006.
  45. Luiz Inácio Lula da Silva.  PT. 1989, 1994, 1998, 2002, 2006.
  46. Manuel Horta.  PDCdoB. 1989.
  47. Marina Silva. PV, PSB. 2010, 2014, 2018.
  48. Mário Covas. PSDB. 1989.
  49. Mauro Iasi. PCB. 2014.
  50. Orestes Quércia. PMDB. 1994.
  51. Oswaldo Souza Oliveira.  PRP. 1998.
  52. Paulo Gontijo. PP. 1989.
  53. Paulo Maluf. PDS. 1984, 1989.
  54. Plínio de Arruda Sampaio. PSOL. 2010.
  55. Roberto Freire. PCB. 1989
  56. Ronaldo Caiado. PSD. 1989.
  57. Rui Costa Pimenta. PCO. 2002, 2006, 2010, 2014.
  58. Sérgio Bueno. PSC. 1998.
  59. Tancredo Neves.  PMDB. 1984.
  60. Thereza Ruiz. PTN. 1998.
  61. Ulysses Guimarães.  PMDB. 1989.
  62. Vasco de Azevedo Neto. PSN. 1998.
  63. Vera Lúcia. PSTU. 2018.
  64. Zamir Teixeira. PCN. 1989.

A Nova República acabou?

Fica a pergunta: o período conhecido como Nova República, iniciado com a redemocratização em 1984 acabou em 2018 com a eleição de Jair Bolsonaro? Há quem diga que sim, já que a eleição de JB rompeu vários paradigmas do período anterior.

Política

Veja também: Trace o seu perfil ideológico

Qual é o seu perfil nos três eixos: político, econômico e de costumes.

Download grátis:

Teste seu perfil ideológico no Excel

Todos os países do mundo em Excel

Blocos econômicos e organismos internacionais em Excel

3 pensou em “Que fim levaram os candidatos a presidente da Nova República?

  1. Belo trabalho. Parabéns!!

    Constatei duas informações que estão incorretas.
    Primeira: O PPS lançou candidaturas proprias a Presidencia duas vezes.
    Ciro Gomes concorreu em 1998, com Roberto Freire vice e em 2002, com Paulinho da Foorça, seu vice.
    Segundo: Collor só disputou a Presidencia em 1989!

    1. Olá, Raimundo:

      Obrigado pela dica. Atualizei os dados. Pelo que levantei o PRN disputou a presidência duas vezes, uma delas com o Color como candidato.

  2. Olá!

    Belo trabalho, mas só corrigindo um dado.

    Esperidião Amin e Paulo Maluf foram candidatos pelo mesmo partido.

    O PDS de Maluf em 1989 se transformou em PPR em 1993, e hoje é o atual PP, seu número de registro no TSE é o 11.

    Histórico do partido:

    ARENA – Aliança Renovadora Nacional (1964-1980)
    PDS – Partido Democrático Social (1980-1993)
    PPR – Partido Progressista Reformador (1993-1995)
    PPB – Partido Progressista Brasileiro (1995-2002)
    PP – Partido Progressista (2002-2015)

    Os outros partidos com a sigla PP e PPB que lançaram candidatos a presidente, são o Partido do Povo e o Partido do Povo Brasileiro. Ambos nada tem haver com o atual PP.

Sua opinião me interessa