Pronomes

VN:F [1.9.22_1171]
Rating: 5.0/5 (1 vote cast)

Podemos considerar os pronomes como uma classe de substitutos, pela característica que apresentam de, na maioria dos casos, poderem ser comutados por sintagmas substantivos. O sistema de pronomes do português é rico e complexo. São os seguintes os pronomes da língua portuguesa:


Sing.

Sing.

Sing.

Plural

Plural

Plural
Reto eu tu ele
ela
nós vós eles
elas
Oblíquo OD o, lo, no
a, la, na
os, los, nos
as, las, nas
Oblíquo SSp Átono me te lhe nos vos lhes
Reflexivo átono me te se nos vos se
Tônico mim ti ele
ela
nós vós eles
elas
Reflexivo tônico mim ti si nós vós si
com+ pronome comigo contigo consigo conosco convosco consigo
Tratamento Você
O Sr.
A Sra.
V.S.ª
V.Ex.ª
Vocês
Os Srs.
As Sras.
V.S.as
V.Ex.as

Flexões dos pronomes

Os pronomes são flexionados em pessoa, gênero, número, e caso, embora o sistema pronominal seja defectivo, como se observa no quadro de pronomes, onde existem lacunas que correspondem à ausência de algumas possibilidades de flexão. A flexão em gênero, por exemplo só existe para alguns pronomes de terceira pessoa. Muitas flexões apresentam a mesma forma que outras próximas no quadro.

A flexão de caso, em português, está presente apenas nos pronomes, que comportam três casos: reto, oblíquo OD e  oblíquo SSp.

  • Reto. O caso reto é empregado quando o pronome desempenha função de sujeito da frase.
  • Oblíquo OD. O caso oblíquo OD é usado quando o pronome funciona como objeto direto na frase.
  • Oblíquo SSp. O caso oblíquo SSp, por sua vez, é usado em função de sintagma substantivo preposicionado. Uma especialização do caso oblíquo SSp são os pronomes reflexivos. O oblíquo reflexivo é usado quando o pronome ocupa função de objeto indireto e, além disso, o sujeito e o objeto indireto da frase denotam o mesmo referente.

Terceira pessoa em função de segunda

Uma característica marcante do nosso sistema pronominal é a possibilidade de, em certos casos, se usar uma flexão de pessoa com valor de outra. O caso mais notável dessa peculiaridade ocorre quando nos dirigimos à quem se fala (segunda pessoa do discurso) usando pronomes de terceira pessoa. Nesse caso, o verbo também pode vir flexionado em terceira pessoa. Observe os exemplos:

Tu podes me informar as horas?

Você pode me informar as horas?

O pronome da frase um está flexionado em segunda pessoa e o pronome da frase dois, está em terceira pessoa. No entanto, as frases se equivalem já que por meio de ambas, nos dirigimos ao receptor, ou seja, à segunda pessoa do discurso.

O uso de flexões de terceira pessoa em lugar de segunda explica-se historicamente. Os pronomes de tratamento eram formas cerimoniais de se dirigir às autoridades. Pela etiqueta da época, não se considerava apropriado dirigir-se à autoridade diretamente, usando pronomes de segunda pessoa. Os pronomes de tratamento, na verdade, citavam a pessoa a quem se fala de uma forma indireta, referindo-se à seus atributos. Por exemplo: Em vez de dizer:

Tu podes me conceder um favor?

dizia-se:

Vossa mercê pode me conceder um favor?

Vossa senhoria pode me conceder um favor?

A forma de tratamento vossa mercê evoluiu para o pronome atual você. Essa maneira de se dirigir à quem se fala em terceira pessoa se consolidou na língua portuguesa e hoje não se limita aos pronomes de tratamento e às situações formais. Temos no português contemporâneo, regras que definem como usar flexões pronominais de terceira pessoa em função de segunda. Vamos conhecer essas regras a seguir.

  • Reto. Frases com o pronome tu podem ser comutadas com correspondentes que usem pronomes de tratamento. Por exemplo:
    Tu podes me fazer um favor?
    Você pode me fazer um favor?
    O senhor pode me fazer um favor?
    Observe que o verbo concorda com a pessoa do pronome.
  • Oblíquo SSp átono. Frases com o pronome tepodem ser comutadas por correspondentes que usem lhe ou a + pronome de tratamento. Exemplos:
    Concedo-te o benefício.
    Concedo-lhe o benefício.
    Concedo a você o benefício.
    Concedo ao senhor o benefício.
  • Oblíquo SSp tônico. Frases com o pronome tisão comutáveis por correspondentes que apresentem o pronome lhe ou pronomes de tratamento. Exemplos:
    Concedo a ti o benefício.
    Concedo-lhe o benefício.
    Concedo a você o benefício.
    Concedo ao senhor o benefício.
    Observe que lhe substitui preposição + pronome tônico.
  • Com + pronome. Frases com a forma contigopodem ser permutadas com correspondentes que usem consigo ou com + pronome de tratamento. Exemplos:
    Vou contigo ao escritório.
    Vou consigo ao escritório.
    Vou com você ao escritório.
    Vou com o senhor ao escritório
    .

Não existem formas de segunda pessoa para oblíquo OD átono, oblíquo SSp átono reflexivo, oblíquo SSp tônico reflexivo, e pronomes de tratamento logo, não há como fazer permuta com formas de terceira pessoa nesses casos.

No caso dos pronomes lheconsigo, somente pelo contexto podemos discernir se estão sendo usados em função de segunda ou terceira pessoa.

Embora os pronomes de tratamento sejam de terceira pessoa, seu uso ocorre praticamente só em função de segunda.

Pronomes, 5.0 out of 5 based on 1 rating

Sobre Radamés

Engenheiro químico curitibano pela UFPR, produtor de conteúdos e ferramentas educacionais para a Internet.
Esse post foi publicado em Morfologia com a(s) tag(s) , , , . Coloque o link permanente como favorito.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *


nove − = 7

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>