Foco

Questões de foco são as que dizem respeito às condições em que se dá o ato narrativo.

Narrador: é o suposto emissor do discurso narrativo, uma entidade imaginária que não deve ser confundida com o autor do discurso, embora seja comum este assumir o papel de narrador.

Narratário: é o hipotético receptor do discurso narrativo, entidade igualmente imaginária que não deve ser confundida com o receptor, embora seja comum o discurso destinar-se diretamente a ele.

Narrador e narratário são tipos especiais de personagens, mesmo quando não fazem parte da ação. Como personagens, podem ter história, aparência, caráter, ideologia e, no caso do narrador, principalmente estilo.

Há dois tipos de interação opostas do narrador com o universo narrativo. O primeiro é a condição de narrador-personagem.

Narratologia

Narrador personagem: está inserido no universo narrativo sobre o qual narra. Ele pode ser protagonista, personagem de pouca atuação ou apenas observador.

Narrador etéreo: não está inserido no universo narrativo: é como se vagasse no éter e as contingências do universo narrativo não o atingissem, nem ele tampouco pudesse interagir com este.

Do mesmo modo pode-se falar em:

Narratário personagem: está inserido no universo ficcional e hipoteticamente tem história, aparência, caráter, etc.

Narratário etéreo: está à margem do universo narrativo e pode ser construído de diversas formas pelo autor: como platéia, grupo diferenciado, personagem específico ou como uma entidade abstraída de todos os atributos que não sejam o de receber a narrativa.

Transferência: ocorre quando o narrador toma para si as impressões, reações, idéias que são do personagem.

Narração primária e narrativa na narrativa: é comum narrativa em que um personagem se põe a narrar, via discurso direto. A diferença dessa narrativa para a primária é que a narração de personagem é uma ação da fábula. A narrativa primária é externa à fábula.

Dramatização

Dramatização, ou discurso direto, é uma forma construtiva da narrativa que visa eliminar a figura do narrador, pondo o leitor em contato direto com o universo narrativo. Os recursos da língua para reproduzir o que se passa no universo narrativo limitam-se à reprodução de discursos e, precariamente, de sons não fonológicos. Daí o discurso direto ser a reprodução hipotética de diálogos, monólogos, pensamentos, cartas, pronunciamentos, manchetes, etc.

Compete a quem lê um discurso direto imaginá-lo como a voz dos personagens ou como a voz do narrador, reproduzindo a fala dos personagens. De qualquer modo, o objetivo é atingido: reproduzir sem filtragem o que se passa na cena.

Ciência

É o grau de conhecimento que se tem sobre o que se passou, passa ou passará no universo narrativo. Podemos citar a ciência do narrador, do narratário, dos personagens, do leitor.

São tipos notáveis de ciência do narrador:

  • Perceptiva: o que o narrador sabe é fruto do que pode a percepção saber. A dele ou a do personagem que acompanha.
  • Subjetiva: é a do narrador que penetra na subjetividade de um ou mais personagens da narrativa.
  • Premonitiva: o narrador sabe o que se dará mais adiante.

Onisciência: é a característica do narrador que não encontra limitações à sua ciência da narrativa.

Onipresença: é o atributo do narrador que não está atrelado a um ponto de vista que o limita, colocando-se sempre onde for mais conveniente aos objetivos da narrativa.

Tipos clássicos de narrador e narratário

O narrador etéreo

Pode ser definido pelas seguintes características:

  • não tem história, aparência, nem caráter, mas tem ideologia e estilo.
  • não se refere ao narratário.
  • é onisciente e onipresente.
  • não interfere na trama, nem dela participa.
  • abstrai seu contexto circundante.
  • procura criar a ilusão de que a época da narração coincide com a da leitura.
  • não faz transferências.
  • tem onisciência subjetiva extensiva a todos os personagens.

O narrador personagem observador


Veja também: Conjugador de verbos em Excel

Para provar que existe lógica em nossa língua resolvi criar um conjugador de verbos em Excel. Baixe a planilha e use no celular ou no computador. Download Assista ao vídeo, veja como a planilha funciona e entenda melhor o nosso sistema de verbos.

Tem como principais características  principais:

  • pertence ao universo narrativo.
  • tem história, caráter, aparência, ideologia e estilo.
  • tem um papel secundário na trama. É quase um observador.

O narrador personagem atuante

  • tem história, aparência, caráter, ideologia e estilo.
  • desempenha um papel de destaque na trama.

O narratário etéreo

  • não tem história, nem aparência, nem caráter, nem ideologia.
  • confunde-se com o leitor genérico.
  • abstrai-se seu contexto circundante.

Autor: Radamés

Engenheiro curitibano pela UFPR, professor e produtor de conteúdos e ferramentas educacionais para a Internet.

Sua opinião me interessa