Demonstrativos

A classe dos demonstrativos é limítrofe, pois apresenta características de adjetivos e de pronomes. Constitui-se de um único lexema com 15 flexões.

Morfologia

Os demonstrativos apresentam uma rica matriz de flexões. Observando a tabela podemos notar algumas regularidades como:

  • Apresentam forma masculina, feminina e indeterminada em número.
  • Apresentam forma singular, plural e indeterminada em número.
  • Apresentam formas para usos ligados às idéias de primeira, segunda ou terceira pessoas do discurso.
Pessoa Singular M Plural M Singular F Plural F Indeterminados
em gênero e número
Este Estes Esta Estas Isto
Esse Esses Essa Essas Isso
Aquele Aqueles Aquela Aquelas Aquilo

Funções dos demonstrativos

Os demonstrativos possuem características que os aproximam tanto da classe dos pronomes, como da dos adjetivos. Para começar, os demonstrativos portam idéia de pessoa, embora isso se dê no plano semântico e não no sintático como é típico dos pronomes. Por outro lado, os demonstrativos são uma classe fechada o que é típico dos pronomes e atípico para adjetivos. Outra característica interessante é que os demonstrativos apresentam formas determinadas e formas indeterminadas em gênero e número. Finalizando, os demonstrativos são empregados também para expressar relações espaciais de proximidade e afastamento e relações temporais. Quando usados nessas funções, perdem a idéia de pessoa associada que lhes é típica em outros usos.

Os demonstrativos determinados em gênero e número são usados como adjetivos. Veja exemplos:

Aquela cidade me encanta.

Essas meninas são traquinas mesmo.

Este livro é meu.

Em alguns casos, os demonstrativos determinados em gênero e número são empregados em função substantiva, mas isso ocorre em condições similares às que se dão para os adjetivos. Observe os exemplos:

Este é o meu livro.

Essas são as meninas traquinas.

Aquela que visitamos por último, foi a cidade que mais me encantou.

Já os demonstrativos indeterminados em gênero e número (isto, isso e aquilo), são usados só com função substantiva e se comportam como pronomes. Eis alguns exemplos:

Isto é uma vergonha.

Aquilo ultrapassou os limites.

Ele se importa com isso.

Não é possível usar isto, isso e aquilo em função adjetiva. Observe:

Isso livro é muito bom.

* Gosto de comprar nisto loja.

* Mas que marca é aquilo carro?

Indicação de posições relativas

A característica mais marcante dos demonstrativos são as flexões ligadas à categoria de pessoa. Em princípio, os demonstrativos indicam posições relativas às pessoas do discurso. Veja os exemplos:

Este livro que está em minhas mãos.

Esse livro que está contigo.

Aquele livro que ele trouxe na mala.

Nos exemplos, os demonstrativos estão determinando o substantivo livro. No primeiro caso, o livro está próximo à quem fala (primeira pessoa do discurso). No segundo enunciado, o livro está próximo do ouvinte (segunda pessoa) e no terceiro exemplo, está próximo de quem se fala (terceira pessoa).

Os demonstrativos não indicam posse. São válidas frases como:

Este livro é dele.

Esse livro é meu.

Aquele livro é teu.

Por extensão, os demonstrativos também são empregados para indicar posições relativas em situações as mais variadas.  O trinômio das pessoas do discurso, por analogia, é empregado para indicar relações como proximidade ou afastamento, presente ou não presente, etc. Vamos exemplificar:

Jânio Quadros e João Figueiredo foram presidentes do Brasil.Este era militar e aquele era civil.

No exemplo, temos a seguinte regra: a flexão de primeira pessoa indica o que foi citado por último e a de terceira pessoa indica o que foi citado primeiramente. A analogia que se estabelece é do tipo:

primeira pessoa = enunciado próximo

terceira pessoa = enunciado afastado

O uso mais rico dos demonstrativos, conforme estabelecido na variante culta, geralmente depende de aprendizado formal. Na fala coloquial o uso dos demonstrativos é mais distenso. As regras quanto às flexões de pessoa são transgredidas na fala coloquial com muita freqüência. Isso ocorre, em parte, porque as regras para uso de demonstrativos são sutis  e exigem atenção no emprego.

Temos que considerar também que em alguns casos, essas regras de uso podem dar margem à ambigüidade como no exemplo:

Este livro que estamos segurando.

Esse livro que estamos segurando.

Se falante e ouvinte estão tocando o livro juntos, as duas frases são adequadas ao contexto.

Comportamento sintático

Não se pode determinar um item simultaneamente com demonstrativo e artigo. Não são aceitas frases como:

Os esses livros são meus.

Uns aqueles turistas voltarão.

Os demonstrativos não podem ser determinados por artigo ou adjetivo.

O  isso é uma vergonha.

* Os livros que comprei são os estes.

Belo aquilo você vez.

Os demonstrativos podem ser determinados por alguns advérbios.

Era bem isso que eu queria.

Não contávamos com tudo aquilo.

Nem esses são confiáveis.

Todas aquelas pessoas.

O demonstrativo precede imediatamente o determinado e seus outros determinantes. Exemplos:

Este belo e bem ilustrado livro.

Aqueles formidáveis tempos idos.

Os demonstrativos determinados em gênero e número, quando em função adjetiva, concordam com o determinado em gênero e número.

Estas palavras.

Esse livro.

Aquelas conclusões.

Os demonstrativos variáveis em gênero e número, quando em função substantiva, concordam em gênero e número com a idéia portada.

Essas não apresentaram problema. (peças)

Aquele está com defeito. (aparelho)

Nas frases em que istoissoaquilo estão em função sintática que define a concordância, esta é feita com a idéia portada pelo demonstrativo. Exemplos:

Isto é o resultado obtido.

Aquilo foram apenas as primeiras conseqüências.

Repare que nos exemplos o verbo concorda em número com a idéia portada pelo demonstrativo. Vale registrar que é raro o emprego de istoissoaquilopara representar noções que pedem plural.

Contrações dos demonstrativos

Os demonstrativos formam contrações com as preposições deema conforme a tabela:

Deste  

Neste

Destes  

Nestes

Desta  

Nesta

Destas  

Nestas

Isto

Nisto

Desse  

Nesse

Desses  

Nesses

Dessa  

Nessa

Dessas  

Nessas

Disso  

Nisso

Daquele  

Naquele Àquele

Daqueles  

Naqueles Àqueles

Daquela  

Naquela Àquela

Daquelas  

Naquelas Àquelas

Daquilo  

Naquilo Àquilo

Veja também: Conjugador de verbos em Excel

Para provar que existe lógica em nossa língua resolvi criar um conjugador de verbos em Excel. Baixe a planilha e use no celular ou no computador.
Download

Assista ao vídeo, veja como a planilha funciona e entenda melhor o nosso sistema de verbos.

Sua opinião me interessa