Taxonomia

Para apresentarmos nossa teoria taxonômica usamos um estilo matemático.

Critério de classificação: Um critério de classificação, ou C, para um conjunto com pelo menos dois elementos, a que chamaremos conjunto universo, ou U, é um conjunto de proposições de argumento único, ao qual chamaremos P1, P2, … Pn, tais que:

Temos ao menos duas proposições.

O conjunto união dos domínios de validade de cada proposição em U, é o conjunto U. Se chamarmos esses domínios abreviadamente: C1, C2, …, Cn, teremos:

C1 C2 … Cn = U

Os domínios de validade em U das proposições são conjuntos disjuntos dois a dois.

C1 C2 =, C2 C3 = , … Cn-1 Cn =

O domínio de validade em U de cada proposição não é um conjunto vazio.

Continue lendo “Taxonomia”

Veja também

O elenco de recursos

As definições compreensivas de recurso retórico são feitas tentando sempre se adequar a um elenco subentendido de ocorrências. O contrário não acontece: definir recurso retórico para só depois gerar o elenco. A tradição pressiona neste sentido, o que torna difícil, por exemplo, pensar em recurso retórico sem pensar em metáfora. Estabelecido o elenco de ocorrências, busca-se uma definição que enquadre todas as ocorrências elencadas.

Continue lendo “O elenco de recursos”

Taxonomia de recursos

A abundância de recursos retóricos é característica da maioria dos tratados de Retórica, inclusive este. Provavelmente, em função dessa abundância e da disparidade entre os recursos retóricos, houve, tradicionalmente, considerável dispêndio de esforço para classificá-los. Em alguns casos, esse dispêndio drenou toda a atenção dos retóricos, e o que deveria ser uma prática acessória tornou-se principal escopo da Retórica.

Continue lendo “Taxonomia de recursos”