Apocalypto

Caçada implacável ao bom selvagem

Direção de Mel Gibson
2006 : EUA : 139 min
Com Ruddy Youngblood (Pata de Jaguar) e
Dalia Hernandez (Seven).
Site oficial: www.apocalypto.com

O filme é sobre caçadas e já na primeira tomada um grupo de índios caçadores acua uma anta para a armadilha mortal. Depois de abater a presa, o líder da caçada arranca o coração do animal. Esse é o primeiro coração arrancado durante o filme.

Pata de Jaguar é o jovem caçador de uma tribo das selvas mexicanas que vê o seu mundo desmoronar quando sua aldeia é atacada por maias caçadores de cabeças. Os agressores maias querem mulheres índias para escravizar e homens para sacrificar em rituais ao deus Sol. As crianças não interessam e são simplesmente abandonadas no meio da mata. A aventura de Pata de Jaguar é para salvar sua família da brutalidade a que são submetidos. Para isso, ele terá que enfrentar situações inimagináveis para um homem urbano. O filme se divide em três momentos distintos. Na primeira parte, que é descontraída temos um retrato da vida cotidiana da tribo de Pata de Jaguar. Na segunda parte, o foco está na crueldade com que os prisioneiros dos maias eram capturados e levados ao sacrifício. Na última parte, temos a fuga espetacular e a redenção do herói que se transforma quando regressa ao seu habitat. No seu terreno, Pata do Jaguar é senhor. Sua é a terra e lá ele levará a cabo a sua vingança.

Continue lendo “Apocalypto”

.

Os doze condenados

Treze párias em busca de redenção

The dirty dozen
Direção de Robert Aldrich
1967 : EUA :  145 min
Com Lee Marvin (Major Reisman),
Ernest Bornigne (General Worden),
Charles Bronson (Wladislaw),
John Cassavets (Franko),
Telly Savalas (Margott),
Donald Sutherland (Pinkley),
Jim Brown (Jefferson),
Clint Walker (Posey) e
Robert Ryan (Coronel Breed)

Canalhas, delinqüentes, indisciplinados, perigosos. Pode imaginar os piores adjetivos para qualificar esses doze condenados, só que eles são os heróis do filme. Chefiados por um major durão, boca dura e indisciplinado, eles têm a missão de invadir um castelo na França onde oficiais nazistas de alta patente se divertem durante o período em que estão licenciados do front. A idéia é chegar lá, abater o maior número possível de nazistas e dar no pé.  A outra opção é ficar na cadeia e cumprir as pesadas penas a que cada um foi condenado. Os especialistas em questões militares devem passar horas discutindo a legitimidade de operações de extermínio como a que coube aos doze condenados, mas a guerra é uma coisa suja, não é mesmo? E como o nome do filme sugere, trata-se de uma dúzia de imundos. Questionamentos éticos não são o forte desses caras. Vou mais além: é um filme sujo para espectadores sujos. Tudo bem, eu adoro o filme e não estou sozinho nessa, afinal todos nós temos um lado negro e carregamos manchas na biografia. Mesmo assim, queremos redenção.

Continue lendo “Os doze condenados”

Scaramouche

Luz, capa, espada

Scaramouche
Direção de George Sidney
1952 : EUA : 115 min
Com Stewart Granger (Andre Moreau),
Eleanor Parker (Lenore),
Janete Leigh (Aline) e
Mel Ferrer (Marquês de Maynes)

Ainda lembro da experiência fantástica que foi assistir Scaramouche pela primeira vez há muitos anos atrás quando eu ainda era adolescente. Talvez a adolescência seja a melhor época para assistir esse filme que é uma tradução cinematográfica perfeita do romance de aventura capa e espada. Scaramouche é o nome do personagem mascarado que Andre Moreau representa no teatro. Galante, talentoso, aventureiro e bufão; ele se mete nas maiores confusões e no final sempre se dá bem. O mundo de Scaramouche lembra um conto de fadas: mulheres lindas, castelos suntuosos, camaradas que dão a vida por uma causa e vilões desprezíveis, mas hábeis com a espada. O enredo do filme é intrincado, cheio de revelações inesperadas, cruzamentos de destinos, romance e confusões de identidade.

Continue lendo “Scaramouche”

V de vingança

A de anarquia, T de terror

V for Vendetta
Direção de James McTeigue
2006 : Alemanha/EUA : 132 min
Com Natalie Portman (Evey),
Hugo Weaving (V),
Stephen Rhea (Finch) e
John Hurt (Sutler)

V de Vingança é praticamente um manual da ação política não convencional, se é que me entendem, aquela que se faz com explosivos e detonadores. V, o herói mascarado do filme tem a biografia trágica dos mártires que são postos pelo destino à frente de uma causa. Sua vida foi destruída por um regime político totalitário e agora ele vive no mundo subterrâneo onde há anos prepara meticulosamente seu plano para libertar a Inglaterra das trevas. A Inglaterra do filme está mergulhada em uma ditadura comandada pelo sinistro chanceler Adam Sutler. O objetivo de V é salvar a Inglaterra da violência política e para isso, lança mão de altas doses de … violência.

Continue lendo “V de vingança”