Aspas

Aspas ocorrem sempre aos pares, uma no início e outra no fim do enunciado por elas contido. O uso de aspas não está ligado a nenhum dos níveis linguísticos de análise. Em todos os casos em que ocorrem, elas exercem funções de nível superior ao sintático. No discurso oral, usamos alguns recursos de entoação para obter resultados similares aos das aspas no discurso escrito. Há duas situações básicas em que usamos aspas no discurso.

Indicação de foco

Colocamos entre aspas o texto citado, aquele que reproduz fielmente o que outro disse. Por exemplo:

Em oposição aos integralistas, o Barão de Itararé dizia: “Adeus, Pátria e família.”

O lema do governo JK era: “Cinqüenta anos em cinco.”

As aspas indicam aqui uma mudança de foco. Do discurso próprio se passa ao citado.

Nessa função, as aspas são usadas em alternância com o travessão. O enunciado entre aspas, porém, pode ficar no mesmo parágrafo do segmento que o antecede. Já o travessão, nesse caso, deve iniciar parágrafo.

Indicação de uso ressalvado

É comum pôr entre aspas uma palavra quando queremos explicitar que por algum motivo o uso dela no enunciado está sob ressalva. Há várias razões para ressalvar o uso de uma palavra com aspas, entre elas:

  • Indicar que se trata de menção e não de uso. Ex.: A palavra “filosofia” é de origem grega.
  • Indicar que se trata de gíria, estrangeirismo, regionalismo, jargão profissional, neologismo ou outro caso com conotação polêmica. Ex.:O ministério autorizou o “realinhamento” dos preços.
  • Indicar ironia. A palavra diz o oposto do que se pretende. Ex.: Ele ficou muito “alegre” com a visita da sogra.
  • Indicar título de obra. Ex.: Sua obra favorita era “Grande Sertão: Veredas”.

O uso das aspas nesse caso é uma decisão pessoal do redator. Trata-se mais de um uso retórico que ditame ortográfico.

Variantes de design

Quanto ao design, as aspas admitem variantes como vemos a seguir:

„Alemãs”

“Francesas”

“Inglesas”

‘Simples verticais’

“Verticais”

Usa-se aspas simples quando temos aspas aninhadas em um segmento entre aspas.

Os sinais de pontuação devem ficar junto da frase à qual pertencem. Se a frase está entre aspas, seu sinal de pontuação deve ficar entre aspas também. Caso contrário, o sinal de pontuação deve ficar fora das aspas como nos exemplos:

Vargas terminou sua carta testamento assim: “Serenamente dou o primeiro passo no caminho da eternidade e saio da vida para entrar na História.”


Veja também: Conjugador de verbos em Excel

Para provar que existe lógica em nossa língua resolvi criar um conjugador de verbos em Excel. Baixe a planilha e use no celular ou no computador. Download Assista ao vídeo, veja como a planilha funciona e entenda melhor o nosso sistema de verbos.

Estou lendo “Germinal”.

Autor: Radamés

Engenheiro curitibano pela UFPR, professor e produtor de conteúdos e ferramentas educacionais para a Internet.

2 pensamentos em “Aspas”

Sua opinião me interessa