A bolha

Gosmenta, asquerosa, trash e cult

The blob
Direção de Irvin S. Yeaworth Jr.
1958 : EUA : 86 min
Com Steve McQueen (Steve) e
Aneta Corsaut (Jane)
Tema de abertura de Burt Bacharach

Ela veio do espaço dentro de um meteorito e está crescendo sem parar graças a uma dieta rica em proteína humana. Nada parece detê-la: nem tiros, nem ácido, nem choque elétrico. O que será da humanidade? Seremos todos engolidos pela bolha grudenta? A bolha é o legítimo filme trash cult. A produção é precária, as performances dos atores são uma droga, os efeitos especiais são toscos e engraçados, os diálogos são repetitivos. Enfim, quanto mais você assiste mais problemas encontra no filme. Então por que assisti-lo? Acontece que ele tem aquelas as virtudes fundamentais do trash cult: parte de uma idéia engraçada e original; pretende arrancar gritos de horror da platéia, mas acaba tirando boas risadas; é ingênuo e despretensioso e reflete uma visão de mundo simples e romântica.

Continue lendo “A bolha”

.

O albergue

Doentio, maldito e cult

Hostel
Direção de Eli Roth
2005 : EUA : 95 min
Com Jay Hernandez e
Barbara Nadeljakova.

Esse filme já entrou na lista dos mais violentos de todos os tempos e tem boas chances de encabeçá-la. É claro que existe violência e violência. As pessoas de bom senso repelem apenas os filmes com violência gratuita e glamourizada. Sob circunstâncias apropriadas, a violência pode levar à reflexão, mas é difícil dizer em que categoria se enquadra O Albergue. Sua violência é estúpida ou tem dimensão filosófica? O diretor Eli Roth se diz satisfeito em ver os espectadores com o estômago revirado por causa do filme e que seu objetivo era esse mesmo. Eu, como membro do grupo dos estômagos revirados, confesso que fechei os olhos em algumas cenas e que passei o dia seguinte com o apetite estragado e com algumas imagens me atormentando. Talvez por ser tão chocante, O Albergue acabe nos forçando à reflexão.

Continue lendo “O albergue”

O vampiro da noite

O clássico B sobre o príncipe das trevas

Horror of Dracula
Direção de Terence Fisher
1958 : Inglaterra : 82 min
Com Peter Cushing (Van Helsing) e
Christopher Lee (Drácula)

Quase morri de medo ao ver esse filme pela primeira vez. Era uma noite fria de inverno e alguns galhos, agitados pelo vento, batiam contra a vidraça da sala. Pudera. Eu era criança e o filme passava em nossa TV preto e branco na sessão coruja. Quando voltei a esse clássico B, em pleno terceiro milênio, já não o achei assustador. Mudaram os filmes de terror ou mudei eu?

Horror of Dracula é um filme de vampiros à moda antiga. O melhor em sua categoria embora dispute cabeça a cabeça com o Drácula de 1931 estrelado pelo mítico Bela Lugosi. Nesse filme, o grandalhão inglês Christopher Lee encarnou pela primeira vez o Príncipe das Trevas. O sucesso foi tanto que a produtora Hammer Films fez outros sete filmes de Drácula com Lee. Peter Cushing, outro ícone do cinema de horror, faz mais uma dobradinha com Lee.

Continue lendo “O vampiro da noite”