Desaforismos e pensamentos incorretos 2019

Seguem mais alguns curtos cordões de palavras expelidas à guisa de humour.

  • O pragmático busca maioria, o fanático, unanimidade.
  • Teologia é ideologia. E vice-versa.
  • Quando posto nas redes sociais penso nas pessoas inteligentes que vão ler. A qualidade dos likes importa mais do que a quantidade.
  • Se você é pró globalização é anti globalismo e vice-versa.
  • Nosso marxismo cultural é tão fuleiro que os jovens só conhecem Bella ciao quando assistem La Casa de Papel na Netflix.
  • Conheça a escória da humanidade. Leia os comentários de notícias da grande mídia.
  • Dá para tirar boas fotos com qualquer câmera e fotos ruins com a melhor câmera. No entanto, certas fotos exigem a câmera certa.
  • Não confie em pessoas sem vícios. Tinha um vegetariano que não fumava, não bebia, nem era mulherengo. Chamava-se Adolf Hitler.
  • Pior que invasão de hacker é quando seu computador é invadido pelo Windows Update.
  • Quando a notícia começa com: Segundo especialistas …. redobre a atenção. Tem especialistas até em terra plana.
  • Quando alguém posta foto de jumento para representar seu adversário político o nome disso é selfie.
  • Ajude quem mais precisa e não quem chora mais.
  • Colecione conhecimento.
  • O mundo está dividido entre os que acreditam na lei de Murphy e os que vivem menos.
  • Meus avós não andavam com roupa furada. Quando furava, eles costuravam.
Continue lendo Desaforismos e pensamentos incorretos 2019

Meu minimalismo – desapego

Raramente alguém nasce minimalista ou é educado pela visão minimalista. O normal atualmente é a pessoa tornar-se minimalista. E não há idade ideal para isso acontecer. Os jovens de hoje estão mais suscetíveis ao minimalismo porque como é típico dos jovens reagem a uma situação degradada que recebem das gerações mais velhas. Os jovens têm visão crítica em relação ao consumismo e grandes preocupações ambientais. As pessoas maduras, por sua vez, sentem a necessidade de mudar velhos hábitos pela melhoria da qualidade de vida.

Aí entra a palavra chave para o sucesso do minimalismo: desapego. Para deixar um estilo de vida para trás onde o normal é ostentar, acumular e estocar o desapego é fundamental. Acredito que a necessidade de acumular vem de um instinto primitivo de sobrevivência. Mas convenhamos, a vida moderna está organizada de tal forma que hoje ninguém precisa se precaver para o inverno enchendo a caverna com alimentos.

Paisagem rural
Continue lendo Meu minimalismo – desapego

Meu minimalismo – o que é

Não sei bem o que é, mas vou dar a minha versão. Minimalismo é uma filosofia prática, orientada para a conduta cotidiana. De certa forma, é uma reação ao modo de vida adotado por muitas pessoas, inclusive eu no passado, a um estilo de vida consumista que tem gerado mais frustração do que bem-estar e que se não for deixado de lado nos levará ao colapso pelo esgotamento dos recursos naturais.

Para mim, a visão de mundo de cada um é condicionada pela sua experiência de vida e, por isso, deixem-me partir de um exemplo familiar. Meu avô Lourenço era sapateiro, ganhou a vida consertando sapatos. Embora ainda existam alguns sapateiros por aí, a maioria das pessoas atualmente prefere descartar os sapatos gastos em vez de consertá-los. Além disso, mantêm uma coleção de sapatos muito maior do que precisam para viver. Minhas avós e minha mãe tinham máquina de costura em casa, sabiam usá-la e faziam reparos nas roupas da família até onde dava. Meu pai nunca teve carro, não sabia dirigir e viveu bem até os 86 anos.

Flor saudade Neomarica caerulea
Continue lendo Meu minimalismo – o que é

Estudando História com as cédulas brasileiras

A Numismática, estudo da moeda, pode nos dar valiosas lições de História. Vamos fazer algumas análises a partir das cédulas brasileiras.

Quem mais apareceu como efígie das cédulas brasileiras?

Efígie é a representação de uma pessoa estampada na cédula, geralmente rosto ou busto. Na história do dinheiro brasileiro alguns personagens marcaram presença em nosso dinheiro. Veja o ranking:

Efígie da República
Continue lendo Estudando História com as cédulas brasileiras

Lista inútil de inutilidades

  • Amaciante de roupas
  • Atestado de vida
  • Cachepot
  • Capa de botijão de gás
  • Capa de guarda-chuva
  • Capinha de celular
  • Carregador sem fio
  • Condicionador de cabelo
  • Desodorizador de ambiente
  • Estojo de fone de ouvido
  • Ferro de passar roupa
  • Fixador de celular
  • Placa “Cuidado com roubos no interior do veículo”
  • Prendedor de gravata
  • Pré shampoo
Capa de botijão de gás

Estudando economia com as cédulas brasileiras

A Numismática, estudo da moeda, pode nos ensinar várias coisas sobre Economia. Vamos descobrir algumas informações interessantes sobre as cédulas que circularam no Brasil desde a Independência até a atualidade.

Um real vale quantos mil-réis?

Vamos começar pela pergunta clássica: a moeda atual do Brasil vale quantos mil-réis, a moeda da época em que o Brasil se tornou independente? Primeiro vamos fazer a correspondência em valor de face, ou seja, aquele valor que é declarado na própria cédula.

Cédula de hum mil-réis

Ao longo dos anos o Brasil mudou oito vezes de moeda. A cada mudança foi estabelecida uma correspondência entre o valor de face da moeda antiga e o da moeda nova. Por exemplo: em 1942 ocorreu a primeira mudança e foi decretado que um cruzeiro correspondia a um mil-réis. Na tabela a seguir temos as correspondências a cada troca de padrão monetário.

Equivalência entre moedas
Continue lendo Estudando economia com as cédulas brasileiras